terça-feira, 22 de junho de 2004

Um dia de Pollyanna

Bom, não pensei em fazer desse blog um diário, mas tô com uma vontade imensa de escrever à toa. Tenho andado com uma vitalidade pra muita coisa... principalmente as coisas que gosto de fazer! Também, quem não tem vitalidade pra fazer o que gosta né?
Mas minha vida está exageradamente corrida, e assim como em algumas fases isso me deixa estressada, em outras me sinto extremamente útil. Como agora. Nos dias em que tenho algum tempinho livre, já me sinto incomodada e procuro algo pra fazer.
Tenho me divertido bastante, com tudo... até com o que tenta me derrubar. Tenho procurado ao máximo ver o lado bom das coisas, e isso está acontecendo até um pouco inconscientemente. Mas sei que isso é apenas uma fase, já me senti assim antes... e de repente tudo muda. Tudo passa a me irritar, e o tempo que gasto com coisas obrigatórias, parecem torturantes.
Mas, quero mesmo é aproveitar esse momento tranqüilo, em que estou bem comigo e bem sozinha. Tenho me divertido também com um envolvimento aqui, outro lá... mas nada que me prenda, ou me obrigue a ser constante... aliás, taí uma coisa que acho que nunca serei. Linear, constante. Quero apenas me divertir, se for apenas por hoje, que seja. Tudo tem seu tempo, e não quero me preocupar com coisas que estão além do meu domínio, como arrumar um namorado. Até porque, nem quero pensar em sofrer por alguém agora... nem sarei ainda, e por isso só quero beijinhos, pra sarar a dor (como disse Zeca Baleiro).
Eu sempre falo que “ficar” é apenas o lado bom do namoro, ou seja... ficando, eu tenho o namoro sem o lado ruim, que são as cobranças, a expectativa, a decepção. É claro que posso estar me enganando, mas pelo menos isso tem me ajudado no momento... e nem quero parar pra pensar nisso, senão eu piro!
Quero amigos, amigos, amigos e amigos... só isso...
Beijos, porque tenho que acordar super cedo amanhã!
Boa noite.

Samantha

Um comentário:

BAR DO BARDO disse...

Nunca será linear e constante... mas alimenta um blog desde 2004!!! Deus do Céu, o que é ser linear e constante?!