quarta-feira, 30 de junho de 2004

Um Momento

" (...) Consegui recuperar minha energia tomando vinho branco Chardonnay, joguei todo o lixo fora, acendi a lareira e velas, tomei banho, lavei os cabelos, me pintei e pus um jeans preto sexy e um bustiê de tiras na largura de espaguete. Não exatamente confortável, na verdade o gancho da calça e as tiras de espaguete ficam mesmo se interrando no corpo, mas me deixam bonita, o que é importante. Pois, como disse Jerry Hall, a mulher tem de ser cozinheira na cozinha e puta na sala de visitas. Ou em outro aposento qualquer, tanto faz."

pensamentos de Bridget Jones em "No Limite da Razão"

É engraçada essa visão feminina, ou até nem tão feminina de se sentir bem... nem tão feminina porque os homens também tem sua forma de relaxar, e pode até ser muito parecida...
Mas as mulheres tem uma forma especial de enxergar a tranquilidade, parece que a vida realmente é feita de pequenas coisas - não que eu não ache isso - mas a gente busca muito coisas grandiosas também, sonhos quase impossíveis, e para falar a verdade, que graça teria, se tudo fosse simples e realizável?
Esse trecho do Livro, que ganhei da Talis, me deixou muito pensativa, parece que me vejo na cena (sem o bustiê de espaguete!) como que vivendo cada simples ato de estar sozinha e... bem. Sou mulher e (NEM TÃO) lá no fundo, tenho essa visão de pequenas coisas... !

Um comentário:

BAR DO BARDO disse...

Apertar-se em intimidades não é pequena coisa... Mas... se dá prazer... ou, pelo menos, elimina a dor...