domingo, 25 de julho de 2004

O último pôr do sol


" A onda ainda quebra na praia
espumas se misturam com o vento
no dia em que ocê foi embora eu fiquei
sentindo saudades do que não foi...
lembrando até do que eu não vivi
pensando em nós dois.

Eu lembro a concha em seu ouvido
fazendo o barulho do mar na areia
no dia em que ocê foi embora eu fiquei
sozinho olhando o sol morrer
por entre as ruínas de Santa Cruz
lembrando nós dois.

Os edifícios abandonados
as estradas sem ninguém
óleo queimado, as vigas na areia
a lua nascendo por entre os fios dos seus cabelos
por entre os dedos da minha mão
passaram certezas e dúvidas
pois no dia em que ocê foi embora eu fiquei
sozinho no mundo sem ter ninguém
o último homem no dia em que o sol morreu."



LENINE

Um comentário:

Anônimo disse...

VOLTA!

VOLTA! Já te disse Mil vezes!

VOLTA!