domingo, 13 de fevereiro de 2005

Formato mínimo

Começou de súbito, a festa estava mesmo ótima
ela procurava um príncipe, ele procurava a próxima;
ele reparou nos óculos, ela reparou nas vírgulas,
ele ofereceu-lhe uma ácido, e ela achou aquilo o máximo.
Os olhos se tocaram ásperos, em beijos de tirar o fólego;
tímidos transaram trópegos, e ávidos gozaram rápido,
ele procurava álibis, ela flutuava lépida
ele sucumbia ao pânico, e ela descansava lívida.
Ele percebeu a dádiva, declarou-se dela um súdito,
desenhou-se a história trágica.
Ele enfim dormiu apático, na noite segredosa e cálida,
ela despertou-se tímida, feita do desejo a vítima.
Fugiu dali tão rápido, caminhando passos tétricos
amor em sua mente, épico; transformado em jogo cínico.
Pra ele uma transa típica, o amor em seu formato mínimo
o corpo se expressando clínico, da triste solidão à rubrica.


Rodrigo Leão (Skank)


>>> Não gosto quase nada do Skank, mas essa é música é especial, totalmente diferente.
Vale a pena ouvir.
E, pra quem achar que se identifica.... bom proveito!
Beijos

Nenhum comentário: