sexta-feira, 2 de dezembro de 2005

Bonitinha mas Ordinária

Uma fala da Velha, em "Bonitinha, mas Ordinária":


(como uma louca)
- Meu marido estava morrendo. Eu era mocinha. E adorava meu marido. Foi meu único amor. Estava morrendo. De câncer. Câncer no sangue. No quarto, eu caí com ataque. Meu primo, que aprendia judô, me carregou no colo. Meu marido já estava com o cheiro da morte. Eu chorava, gritava. Meu primo me levou para o quarto do lado. E, de repente, eu tive vontade de trair. Trair o homem que amava. Trair antes que ele morresse. Fui eu que beijei meu primo na boca! Eu! Enquanto meu marido morria, eu mesma puxava com as duas mãos o decote! Abria, assim, o decote!"
Nelson Rodrigues

Nenhum comentário: