quinta-feira, 1 de dezembro de 2005

Xangai Baby


Estou lendo esse livro.. simplesmente delicioso... " Xangai Baby"
>>> conta a história de uma chinesa que em meio à uma tempestade de vida (o namorado se destruindo por drogas, e ela descobrindo e explorando toda a vida sexual com um amante alemão) está escrevendo um romance e trasmite toda a sua história e suas febres para a personagem principal da sua obra.

vou colocar aqui, algumas partes das que grifei com caneta marca-texto.... amei!

"(...) Eu podia ver os seus olhos o tempo todo se movimentando, ávidos com um entusiasmo neurótico. (...) O corpo dela era macio como o de um ganso, mas forte como o de um leopardo. Cada agachar, salto e giro de um felino era elegante, mas loucamente sedutor.
Para uma garota como eu, abandonar algo era quase instintivo, tão fácil quanto estalar os dedos.

(...) Talvez todos os homens por quem gamei, antes de mais nada e principalmente, fossem altamente esclarecidos, e apaixonadamente eloqüentes, com cérebro robusto. Não consigo me imaginar caindo de amores por um homem incapaz de citar dez provérbios, cinco alusões filosóficas e o nome de três compositores.

Para mim, chega. Sou uma menina má, em tudo e por tudo, pelo menos aos olhos de minha mãe. (...) O conflito entre as minhas naturezas como mulher e escritora me destinava ao caos.

Ela é uma dessas mulheres que se animam com facilidade, e uma vez animada se torna sensual e coquete.

Havia algo inquietante em sua indiferença, quase como a contenção de um caçador ao se confrontar com sua presa longamente ansiada. (...)
Aquecida por uma felicidade masoquista, minha mente pifou.

Mulheres são mentirosas natas, principalmente quando elas transitam entre homens. Quanto mais complexa a situação, mais engenhosas são elas. Desde o momento em que começam a falar já sabem mentir.

Como eu, a minha heroína não quer levar uma vida comum. Ela é ambiciosa, tem dois homens, e vive em uma montanha-russa emocional. Acredita nestas palavras: sorva todo o suco da vida como uma sanguessuga.

- O medo da solidão é que nos ensina a amar- afirmou David.
- Eu penso demais, e 99,9% dos homens não querem se envolver com uma mulher que pensa demais.

(...)Certa vez, convenci-me de que uma mulher era capaz de separar o coração do corpo - um homem consegue, por que uma mulher não?

A vida dela seria um revólver de desejo, capaz de disparar e matar a qualquer momento(...)"


Trechos do livro Xangai Baby, de WEI HUI

Nenhum comentário: