quarta-feira, 29 de março de 2006

O que é a "Liga"?


O lado médico foi: Obstinação com tendência à imprudência. Eu dei risada porque na verdade nem entendia ao certo do que se tratava. O Nome era legal, e pra mim, no auge dos hormônios aflorados, achei que ele estava querendo me dizer que eu era “muito louca”, e embalei nessa. Gostei mesmo de ser diferente das outras pessoas. Na época me vestia diferente, falava diferente e contestava, questionava tudo o que era convencionado.
Hoje ainda me acho um poço assim , é claro que dentro do que eu posso ser para que me aceitem como funcionária, amiga, namorada, e aluna.
Mas na verdade, em alguns momentos, me vem à tona as atitudes rebeldes e sem causa da adolescência obstinada e imprudente. Como no caso das músicas, namorados e opiniões sobre o acontece à minha volta. As coisas sempre me parecem fracassadas antes mesmo de se concretizarem. Principalmente nos relacionamentos. Vejo hoje também que aquela obstinação imprudente de que me falava o médico, somou-se com grande intensidade a uma grande intolerância e perca de interesse por tudo que me causa incomodo ou me despende tempo e forças para conquistar.
Se um cara não tá a fim.. Meu Deus, e daí? Já ouvi várias vezes que isso acontece porque ainda não encontrei o “amor da minha vida”, mas tenho vinte e seis anos, já tive pessoas de quem gostei incondicionalmente e pessoas pelas quais achei que iria morrer. Sei, e acredito que exista de fato, o amor verdadeiro, mas não concordo e não consigo viver nele, o sofrimento da rejeição.
Não sei explicar o motivo, é uma coisa que me acontece inconscientemente. De repente “puft”, deixo de ter qualquer interesse por uma pessoa, pelo simples fato de ela ser como é. Às vezes o que me faz desgostar, é o mesmo motivo pelo qual me interessei. Sei lá se isso é um dom divino, ou se é bom ou é ruim. Mas acontece comigo.

E isso piorou um pouco mais, quando me filiei à “Liga da Justiça”.
Nessa “seita” reúnem-se meninas que querem a mais pura e real diversão. A mais pura e real descontração em relação a tudo na vida. Ou seja, meninas com a mesma doença. É claro que cada uma tem características e valores totalmente – ou nem tanto – diferentes, convivendo juntinho com muita dose de personalidade, individualidade e um pouco de álcool destilado.
Meninas que lutam apenas por quatro coisas: Diversão, Gargalhadas, Felicidade e Companheirismo.
Gostaria apenas de ressaltar que foi instituído como lema do grupo que nenhuma irá sofrer ou se entristecer pelas maldades ou relapsos alheios, principalmente de homens. Sendo assim, para esses casos, nos foi “permitido e concedido” o dom da vingança. Vingança na melhor das intenções e no melhor dos bons sentidos – se é que pra vingança isso existe!
Na Liga da Justiça, nenhuma mulher fica em casa chorando, sofrendo em martírio.
Sabe o que ela faz com o sofrimento? Bebe com vodka!
Sabe o que ela faz com música triste? Dança em ritmo de Rock!
Sabe o que ela faz com pensamentos em homens? Ri da cara deles – ou dá-lhes o mesmo doce!

Isso pode ser sim Obstinação com tendência à Imprudência. Acho até que é mesmo, mas essa Obstinação faz um bem danado e a imprudência, na verdade até faz um mal danado, mas para quem mereça!

Está aí a foto das integrantes da “Liga da Justiça”.... cada uma delas, do jeito que é, do jeito que está, do jeito que quer.
Elas comandam, e ponto final!
Somebody told me

Samantha Abreu


Nenhum comentário: