terça-feira, 13 de junho de 2006

Amor Namorado

Amor de namorado é como brinquedo nas mãos de criança. Aquele brinquedo esperado o ano todo, e que o papai noel traz no final, como recompensa.
Amar assim é ver estrelas em noite de inverno.`É olhar o outro por cima da xícara quente de manhã, e achar esse momento inesquecível. A gente descobre que perdeu a raiva por cozinhar, e aprende um prato especial que servirá de desculpa para encontros noturnos. É achar graça quando ele dorme fazendo barulho de gato, e a manga do nosso pijama amanhece molhada sob a boca dele. É ficar cheirando o travesseiro depois que ele vai para o trabalho, e sentir no rosto o esconderijo macio do cabelo rebelde.
Temos a sensação de desespero súbito se acordamos na madrugada e aquela mão não está no abraço. A distância na cama entre duas pessoas que não se aninham é comparável à das duas pontas do arco-íris, e logo que nos damos conta disso, mesmo de costas procuramos aquele braço para que ele nos envolva.
Amor de namorado é compartilhar algodão-doce e decidir ligar, sem motivo, no meio da tarde atarefada de trabalho. É ser criança sapeca, criança risonha e cheia de vontades.
É ser curiosa ao extremo, tentar decifrar um olhar, e acompanhar o pescoço quando ele se vira. É querer ser única e viver só de dois.
Amor de namorado é sem regras, é sem medo e sem sossego.
Amor namorado é criança feliz.



Samantha
"odiando o Dia dos Namorados"

2 comentários:

zibl disse...

Olá Samantha,

Que engraçado, você e eu escrevemos nos nossos blogs, cada uma por seu lado, na mesma altura, mais ou menos a mesma ideia, a relação entre amor e infância feliz... acho mesmo engraçada, a coincidência! Se tiver paciência, dê uma olhada no post "transumâncias", verá se não é como digo...

Não sabe quem sou, claro. Nem eu quem você é. Tenho acompanhado o seu blog ultimamente, encontrei-o a partir do blog (em hibernação?) de Cíntia Moscovich. Gosto de lê-la.

Fique bem, seja feliz, desejo eu.

Anônimo disse...

esse aí, era nosso amor, que agora é só meu. Ainda me lembro.
me lembro muito, todos os dias.