quarta-feira, 7 de junho de 2006

Ao essencial

(Eu e a Robertinha!)

Ao essencial

Se for correr, sem cansaço
Pra sentir o vento, feche os olhos
Tomar cerveja, tenha sede
Pra encontrar amigos, abra os braços

Quando trabalhar, faça bem
Se for ler, tenha tempo
Pra sair, companhia
Faça o melhor, sem olhar a quem

Pra falar, olhe de frente
Quando sorrir, faça verdadeiro
Pra caminhar, junte as mãos
Ao essencial não importa dinheiro
Samantha Abreu

Um comentário:

Anderson Almeida disse...

Um poema bonito, mas me vem a mente uma pergunta: Você está lendo Paulo Coelho? hehehe...