quarta-feira, 5 de julho de 2006

A Alma inquieta das Mulheres




"(...) Como será possível numa perfeição rara e num acabamento incomparável, surpreender a alma inquieta das Mulheres, analisá-la, dissecá-la, - ela tão complexa que é, tão sutil, que é rio manso que desliza, às vezes tormenta dantesca que se desencadeia, que é doçura e rugido, que é bonança e ódio, tão desencontrada em si mesmo, tão encantadoramente desigual, tão deliciosamente paradoxal porque, Senhores, nós não sabemos nunca, nem muita vez Ela mesma, o que uma mulher quer e o que ela não quer! "


Trecho de "A alma inquieta das Mulheres" de Raul de Azevedo

Um comentário:

Breno disse...

até parece sua alma dentro dessa caixinha...

cheia de surpresas! rsrsrss

Um beijo neném.