segunda-feira, 28 de agosto de 2006

Coisas Roubadas

"É preciso apanhar as coisas durante a sua fortuita distração, e enriquecer e intoxicar a vida com essas misteriosas coisas roubadas.
Roubamos da noite e do dia as suas emaranhadas imagens, roubamos a própria vida da vida geral, e fomos conduzidos por esse roubo a um equívoco: a condenação de hóspedes da irrealidade absoluta."
Herberto Helder, poeta português

Um comentário:

RIZ_SS disse...

Nullius in verba...