domingo, 6 de agosto de 2006

Fome Bandida


Cortava-lhe o peito
O choro das crianças.
“Cansei de pedir
ajuda amiga.
Acusam sempre:
Tu vai tomá pinga!”

Roubou pra comer
Pra dar de comida
Arriscou esperteza
Quase não viram
Se entregou na saída.

Levou flagrante
E os pequenos em casa,
com fome.
Foi a única vez.
Pensando no barraco, agora
Vê da pequena janela
A paisagem xadrez.


Samantha Abreu
(tela de Portinari, "Mulher Chorando")

Nenhum comentário: