domingo, 26 de novembro de 2006

Deficiência


Ímpeto de falar,
sentimentos trancados
pelo nó apertado à garganta.
Um buraco vazio
onde estava o coração,
sangue parado nas veias.
Tateando desesperado
querendo sentir o mundo,
escuro, invisível aos olhos.
Estático, parado,
movimentos congelados,
sem reação.
Deficiente ao mundo,
sem saber viver,
em comunhão.

Samantha Abreu

Nenhum comentário: