domingo, 8 de abril de 2007

Imaturidade

O mundo parece tão lúdico
que me faz ficar aqui
Parada de costas
olhando lá trás
meus castelos de areia.

Um cavalo que roda
fazendo-me sem direção
em altos e baixos
Presa às loucuras
dessa vida imposta.


Samantha Abreu

7 comentários:

Nathy disse...

Olá!!! Gostei muito do seu blog. Tudo muito bem escrito por aqui. E pelo jeito também gosta de Clarice Lispector. Gosto muito e vi seu post sobre a exposição dela no Museu de Lingua Portuguesa. Queria muuuito ir. Já fui no museu e achei tudo muito show, adoraria ver a exposição de Clarice, mas quem sabe né?! Beijos!!! Parabéns, pelo blog.

Diogo Lyra disse...

A vida, entendo, é uma fantasia sedimentada na fábula da certeza. E se assim se faz, há que se tornar mais bela, ainda que isso importe em ignorá-la. Há que se tornar mais vida, ainda que isso importe em sonhá-la. Há que se tornar mais real, ainda que isso importe em fantasiá-la. Há de ser mais, ainda que isso importe em menos...
Bjs

F. Reoli disse...

As vezes é bom deixarem as retinas voltarem no tempo e vermos magia e cor, nessa roda-viva chamada: vida!
Beijos

Samantha, um outro endereço, onde escrevo com imagens: http://noitespaulistanas.nafoto.net

+ Beijos

13ntos disse...

parabéns!
vc escreve c/ muita propriedade, de fatos e sentimentos...

Nao tem Sentido disse...

Aos poucos vamos conhecendo mais teu talento, Samantha. Acabo de conhecer poemas. Muito bom mesmo! Bjs!!!

Rê Ruffato disse...

Vida imposta é brochante, mas dá mesmo essa impressão em muitos momentos da vida da gente...
beijo, poetisa.

Anderson disse...

Nem preciso mais comentar, fico feliz toda vez que entro aqui...
Beijos...