terça-feira, 3 de abril de 2007

Máscaras


"Eu, um deus desamparado, vagueio no oceano do Cosmos, com a consciência a latejar. Dentro desta espécie de garrafa, já não importa se rio ou se choro. Escolhi ser máscara, senhores. Máscara mesmo, não importa se trágica ou cômica. Já não receio o nada. Nem a dor: tudo arrisco. E é na condição de máscara que continuarei narrando"
João Silvério Trevisan