terça-feira, 3 de abril de 2007

Pequeno Mundo


Pequeno Mundo


O demais é sempre tão pouco
e a sala vazia, tão pequena.
Minha alma busca a janela
olha o chão com anseio
Flutuar seria tão bom!

Uma música folk
Um vestido de flores
A gente pensa que tem muito,
e fica sem saber
o que fazer das mãos tão vazias.

Todos se machucam, um dia
E a janela tão baixa
transforma a queda
em alívio.
Abraçar o mundo
é possível, sim.


Samantha Abreu
foto: katarina Sokolova

6 comentários:

Leo Bueno disse...

Será que, na medida em que nosso mundo cresce, a janela sobe? Creio que sim, pois não foram poucas as quedas de parapeitos altíssimos, em que nem as máscaras davam conta das cicatrizes.

Mas, hoje, creio que flutuo. Pelo menos, uma ótima sensação de perenidade chuta as desilusões para longe. Vivo positivo, mas os dedos às vezes percorrem as velhas marcas.

Beijo!

Diogo Lyra disse...

Lindo!!!!!!!!!!!!!

13ntos disse...

hibernei
não te respondi
não por maleducação
foi por um momento
sem graça
de não saber
o q responder
e só assim
hj eu respondi
de tão sem graça
q ficou...

F. Reoli disse...

Palavras leves como sorrisos sinceros... :)
Te beijo!

Palomon Chunchón disse...

Yo pequeñito
Del tamaño de un boton
La pepita de Sierra Pelada
Se llama Palomon Chunchón!

Mira Chica, su poesía fue agraciada acá

www.chorumelos.blogspot.com

Un beso en su emocion!

SAMANTHA ABREU disse...

Ahahaha
gente! tô me achando!
sabe a história de crítica?! pois é.. já ganhei uma (isso é fantástico!) nesse site do "palomon" aí de cima!

tudo bem que ele disse lá que eu odeio os homens, que copiei uma poesia da música do Semisonic e que tudo o que escrevo não tem pé nem cabeça! (pensei que era só eu que achava isso!)
mas o pior foi ter me chamado de "xuxu" e disse que sou emo! Aí Diogo! ele disse que sou emo! ahahahahahahahahaha

deixei lá, pra ele, um agradecimento, além de alguns esclarecimentos, afinal não é todo mundo que lê as entrelinhas e entende os subentendidos, não é!?

hahahaha.. gente!
morro e não vejo tudo!