quinta-feira, 14 de junho de 2007

El Festival!

Como já tinha dito, fui ver a peça "Silêncio", no domingo. A peça me deu calafrios. Senti um receio infantil de ter pesadelos às noite. E tudo por conta da expressão amarga, sombria e apreensiva dos Bonecos-Personagens. Dava medo e compaixão, ao mesmo tempo.
Adaptação de “A Casa de Bernarda Alba”, de Frederico Garcia Lorca, o que mais me impressionou foi como, em todos os momentos, o sofrimento e repressão pairavam no ar. O clima no palco era tenso, como acontecia, de fato, na história narrada. Medo, Loucura, Submissão.
Coreografias excelentes, com artes circenses e um show de interpretação.
O elenco era formado por 3 atores que manipulavam vários bonecos, e isso me fez admirar também a rapidez e competência artística.


Ontem fui ver "Zona de Guerra"
Grupo Triptal de Teatro, São Paulo.
Sinopse: Inspirada em textos de Eugène O’Neill, é a história de um jovem que, fugindo de problemas, se emprega em um cargueiro da marinha mercante que contrabandeia munição em plena Primeira Guerra Mundial. Quando entram na “zona de guerra”, a tripulação suspeita que o jovem seja um espião. O motivo é uma misteriosa caixa preta que ele carrega.

Uma mistura de suspense com comédia, que me fez em alguns momento tentar adivinhar a identidade do suspeito e em outras rir das tiradas e trocadilhos pra lá de irônicos com a supremacia inglesa. Descontração inteligente.
Gostei também de ver em cena apenas homens e, todos eles, com idade já numerosa. Senhores fantásticos e com veia artística pra lá de impressionante.
A peça recebeu o Prêmio APCA de melhor espetáculo de 2006. Mais do que merecido.

Nenhum comentário: