quinta-feira, 14 de junho de 2007

POr QuÊ nÃo se FaZ mAis CoMo ELE?

Fantástica a matéria sobre Nelson Rodrigues, na Bravo! desse mês.
“Por que não temos mais um cronista como ele?”
Essa é uma pergunta com várias respostas... muitas mesmo, eu acho.
A reportagem coloca razões com as quais concordo totalmente:
O fato de o Brasil, naquela época, ser pequeno e os acontecimentos culturais ainda estarem centralizados no Rio de janeiro e a expansão dos subúrbios ter colocado a elite intelectual em contato com o popular. Nelson fala muito disso.
Também, a força do Jornal era muito grande, o que favorecia a produção e desenvolvimentos das crônicas, e mais ainda, nossos cronistas e dramaturgos se preocupavam em decifrar o Brasil e o brasileiro. O que já não tem grande importância hoje.
Essas são as razões de Edward Pimenta, contidas na matéria. Eu, além destas, diria que falta aos nossos atuais escritores, cronistas, romancistas e literatos a coragem de inovar e, principalmente, a independência de editoras tão comerciais e sem valorização cultural.
Nelson Rodrigues era nu e cru. Quando leio coisas dele, sinto gosto de sangue na boca, sinto calor nas mãos e, às vezes, até dor de cabeça.
Faz tempo que não sinto coisas desse tipo com palavras de outros homens. Ai, que saudade do Nelson!

Um comentário:

Priscila disse...

Concordo com o que disse! Nelson Rodrigues é peça única em nossa literatura!
Parabéns pelo blog, muito bem escrito!

Bjos