sábado, 21 de julho de 2007

Sweet Pimenta, da série "Mulheres sob Descontrole"

- E essa aqui?
- Ah não, não combina com a minha.
- Ah meu Deus! Sem essa.
- Uma vez namorei um cara que só usava cores fortes. Aí eu, pra equilibrar, tinha que vestir preto ou branco, sempre cores neutras. Depois namorei o... ah, você não conhece, que me deixava usar a cor que eu quisesse, mas em compensação ele não usava nada, saía pela rua com o peito cabeludo à mostra. Eu tinha uma raiva, acabava ficando em casa só pra ele não sair daquele jeito. Cansei negligenciar a mim mesma.
- E eu é que pago por isso?
- Eu só quero que você vista essa camisa verde. Fica uma coisa meio latina, eu gosto assim.
- Argh!
- Acho que vou de peruca. O que você acha?
- É... fica uma coisa assim meio ridícula, mas eu gosto.

Ela falou por mais uma hora sobre toda sua experiência com caras que a impediam de se evidenciar, de todo o tempo em que não pode usar as roupas que queria, nem o tipo de cabelo que estava na moda. Ele procurava um meio de usar todas aquelas histórias de uma maneira divertida. Passou a imaginar todas as crises de nervo que ela deveria ter tido e como ficava engraçada quando estava nervosa. O rosto deformado pela raiva, pálido como só ela conseguia ter. Segurava o riso de canto. Ela falava, desabafava toda sua mágoa com a falta de cores no seu passado e como queria viver com ele uma vida diferente. Sentiu uma vontade louca de tomar a peruca da mão dela, só pra vê-la berrar.

- Você está me ouvindo?
- Imagino como deve ter sido difícil pra você. Mas essa peruca vai ficar ridícula com essa camisa florida.

Assunto para mais meia hora de monólogo, enquanto ele viajava em subdimensões do passado constrangedoramente traumatizante que pra ela era motivo para novas experiências e pra ele, motivo de sarro. Ela ia e voltava pelo corredor, parava em frente ao espelho e gesticulava. Até que ficava bonita assim, de camisa florida, calcinha de algodão e meias. Tanta mulher preocupada em se arrumar demais, até peruca compra e ela bonita daquele jeito, quase nua.

- Não levanto dessa cama hoje se você colocar essa peruca.

O rosto pálido começava a ficar vermelho e ele divertindo-se mais a cada provocação, vendo-a desesperar-se pela falta de argumentos em tentar convencê-lo e o cansaço já chegando.
- Beto. Por-ra. Custa você colocar essa droga de camisa verde?
- Você desiste da peruca?
- Não é justo eu ter que deixar de lado uma vontade tão antiga.

Ai que delícia vê-la fora de si, quase entregue, falindo frente à total calma e serenidade com que ele parecia irredutível.
Ela se sentou na cama, ficou de cabeça baixa e muda por alguns minutos. De repente, ele até ficou preocupado. Não parecia mais a sua pimenta.

Assustadoramente, ela se virou jogando os cabelos pra cima e berrou:
- Eu vou colocar essa droga de peruca e você essa merda de camisa. Agora! Agoraaaa! Ou eu vou sozinha nessa festa! .... Tá duvidando?

Com os olhos arregalados, ele foi se arrastando devagar até a beirada da cama, pegou a camisa do chão e a vestiu.
Nervosa era engraçada, mas louca ele tinha medo.



Samantha Abreu
foto: Ana Meireles

19 comentários:

Tyler Bazz disse...

NADA como saber convencer...

Paulo Castro disse...

A gente lá falando de Lacan e vc aqui, com toda graça ( a foto é perfeita pro conto !) diz uma das coisas mais importantes do mounsier Jacques:

"O desejo é o desejo do Outro".

°

Beijos e Desejos.

°

Armando disse...

Que delícia de texto, original e cotidiano.
Concordo tb que não se classifica em genêro a literatura. Eu tenho poemas sobre amor de duas mulheres, dois homens, com diferenças de idade e penso que nada deveria se dividir em genêro.

Mil beijos

Aquele que tú sabes disse...

onde posso tocar-te definitivo, para eternamente te ter?!

pára de sair assim
fico com medo de acordar e não te ver mais aqui

Clóvis disse...

Interessante a sua narrativa, e os detalhes todos, as caras que nos vêm em mente.

No mais, tenho mais facilidade com mulheres loucas.As nervosas eu deixo falando sozinhas, assim elas enlouquecem, e o mundo fica blue novamente...



Até, querida.

Luana disse...

Aaaah, que bacana!

Me lembrou o filme ''Mulheres à beira de um ataque de nervos''; pelo qual não me recordo o autor, mas é espanhol e possui alguns costumes deste teor descritivo, muito legal !!!

;D

Beijo enorme...t+.

Mila disse...

Hahahahhahahaa, Samy (pode?), demais esse conto! A cada cara, imaginei os MEUS caras. Cada coisa... Meu Deus.

Claudia Blue disse...

Divertidissimo.... as mulheres tem um jeitinho *especial* pra convencer non? rsrsr
beijo blue

http://noelevador.zip.net
http://nabolsadamulher.blogspot.com

ricardo disse...

eu adoro mulheres loucas, qdo dao pitis então aí q delicia, faço mt isso de proposito com a minha mana, e ela faz mais comigo, as vezes quem vira o jogo sou eu...meu olhar de louco da medo... eu não tenho medo de mulheres loucas...geralmente elas dão tempero a vida, mas se implicar mt vc erra a mão e sai tudo errado...beijossssssss

http://noelevador.zip.net
http://vidacretina.zip.net

ju disse...

[crise de riso]

Jana disse...

kkkkkkkkk O grande poder de persuasão da mulher!!!

Adorei o conto!

Beijos

FSF disse...

achei seu blog numa comu do orkut. gostei do estilo. gosto de textos diretos, com períodos curtos e sem muita digressão. são raros hoje em dia... parabéns

F. Reoli disse...

Ha ha ha... você sabe descrever com maestria essas nuances femininas...rs... te beijo!!!

Diogo Lyra disse...

Hahaha, que ótimo! Eu amo essa série!!!

Marília Silva Tavares disse...

[Luana, o diretor de "Mulheres a beira de um ataque de nervos" é o Almodovar]
Imagino que a personagem seja loira (tingida, é claro), baixinha e com os olhos castanhos bem redondos...

Mônica Montone disse...

kkkkkkkk, adorei o 'louca ele tinha medo', rsrsrsrs*

beijos, querida e boa semana

MM

Fabrício Fortes disse...

rsrsrs.. é o tipo de coisa que nem se discute.. veste já a tal da camisa e tudo certo..
bem bom!

Rê Ruffato disse...

Hahahaha, sensacional.
Melhor que isso só o cara aí em cima dizendo que "adora mulher louca".

Daniel Nérso disse...

ahahahah.. obrigado por colocar um sorriso no meu rosto hj :)