terça-feira, 7 de agosto de 2007

Dominação

O amor comeu minha paz e minha guerra.
Meu dia e minha noite. Meu inverno e meu verão.
Comeu meu silêncio, minha dor de cabeça,
meu medo da morte.
(João Cabral de Melo Neto)

3 comentários:

Diogo Lyra disse...

E engordou tanto que, dezenove anos depois, tornou-se mórbido e estático, atingindo o gozo defronte a TV, comendo Doritos sob o silêncio...

Marília Silva Tavares disse...

Comeu tudo que não sobrou um doritos para contar a história, coitada! Ficou sozinha com o amor gordo.

ju disse...

vc têm lirinha declamando esse texto?
se não tiver me avise, que lhe dou de presente.