terça-feira, 28 de agosto de 2007

Mas eu ainda prefiro ela...

Sinto uma angústia enorme, que não me dá tempo de pensar no que fazer. Ela berra. Ou me acelero à sua vontade, ou é melhor ficar aqui quietinha, na cama, ouvindo Portishead.
Em dias assim é que se usa aquele ditado: pra baixo, todo santo ajuda.

É por isso que prefiro a Clarice:
“..."Grite", ordenei-me quieta. "Grite", repeti-me inutilmente com um suspiro de profunda quietude. (...) Mas se eu gritasse uma só vez que fosse, talvez nunca mais pudesse parar...”

2 comentários:

4rthur disse...

"glory box" em beleza roubada é um momento quase mágico!

Maria Muadié disse...

oi. bacana seu espaço.
vc lembra em que livro está essa frase de Clarice?