quarta-feira, 22 de agosto de 2007

Minhas 7 Coisas

Como fui desafiada e eu não sou mulher de levar desaforo pra casa, tô dentro!

Fui desafiada pela Cin do
“Segredos de Liquidificador” a escrever sobre 7 fatos casuais da minha vida e, depois, repassar a tarefa à mais 7 blogueiros.
Como já tenho a série “minhas 7 coisas”, vou fazer desse post uma dela.

7 coisas que não esqueço, nunca:

  1. Quando eu tinha mais ou menos 10 anos e ia ao supermercado com meus pais, minha prima (Talita, te amo) ia junto. Lá, andávamos sozinhas, enchendo um carrinho de tranqueiras para parecermos adultas. Pensávamos que as pessoas achariam que morávamos sozinhas, e tal. (ahahahahahahaaa).
  2. Lembro, mais claramente da minha adolescência, que meu pai se deitava no sofá, apagava todas as luzes da casa e ligava o som no último volume. Nós não podíamos nem pensar em passar pela sala e, muito menos, fazer qualquer barulho. Era sempre aos finais de tarde, depois que ele chegava do trabalho. Agora entendo o que aquilo significava pra ele e, até hoje, quando escuto algumas músicas (Georgia, do Ray Charles é uma delas) meus olhos se enchem de lágrima. Muita saudade.
  3. Tenho uma incapacidade sobrenatural de ir até o fim com as coisas mais difíceis. Sendo mais clara: desisto muito fácil de tudo o que vá me causar incômodo. Alguns dizem que eu não tenho força de vontade, mas eu prefiro dizer que, se depender de mim, só quero a parte boa da vida. Em todos os aspectos, principalmente relacionamentos.
  4. Tenho adoração e morro de vontade de fazer um mundarel de tatuagens pelo corpo, se não fosse o pavor indescritível que tenho de agulha. Faz anos que treino, decido e desisto e assim vai. Decidi agora: vou fazer algumas rosas no braço. Mas vou tremendo de medo. Confesso.
  5. Sou faladeira e vivo em um mundo de pura fantasia. Desde criança. Minha mãe conta que sofria horrores quando saía comigo porque, se descuidasse um segundo, eu sumia com qualquer um, batendo papo e inventando histórias. Uma vez, ela quase enlouqueceu porque eu desapareci dentro das Lojas Pernambucanas (eu tinha 5 anos). Disse que me procurou por todo o centro da cidade, gritando desesperada. Foram me achar dentro do elevador da loja, batendo papo com o ascensorista, 3 horas depois.
  6. O primeiro porre que tomei na vida foi de licor de menta (ai, ai, ai!). Eu a Talita (sempre era ela) enchemos a cara no reveillon, achando que tudo mudaria a partir dali. Ficamos, nós duas, sozinhas, no quintal da casa dela, deitadas no chão e achando que estávamos bebendo horrores. Detalhe: para parecer, mesmo, que era sério, tomamos até no bico da garrafa.
  7. Tenho uma febre de momento que me leva a cometer loucuras, sem pensar por nem um minuto. Essa semana, comentei no trabalho que preciso, desesperadamente, emagrecer até dia 12 de outubro. Minha amiga, muito calmamente, passou uma receita e eu comecei na hora. Oras, tem que dar tempo até dia 12! A Lizandra (outra amiga de anos) deu a idéia de irmos pra Londres, passear nas férias (temos amigos lá). Só não me disse que era um plano para ano que vem. Eu já tinha programado quase tudo para minhas férias que são agora, em novembro. Quando falei, ela quase teve um chilique. Mas sou assim: se não for na hora, esquece.

Agora quero ver o que eles têm pra contar:

Absurdosturos
Descontentamento Constante
Entretantas, Eu
Fundo de Quintal Literário
Fina Flor
Passeios na Mente Divergente
Reticências

13 comentários:

Tyler Bazz disse...

O item 4 parece até que fui eu que escrevi... rosas e estrelas... e agulhas :S

o/

Anônimo disse...

Samantha,
Acabei de participar de um encontro literário com a Cíntia Moscovich aqui em Campinas. Ela mandou um grande abraço e uma "ordem" (brincadeirinha) para que eu compartilhasse com você os meus textos. Confesso que comecei faz pouco tempo a escrever, mas estou perdidamente apaixonada, não consigo mais fazer outra coisa, mas não tenho com quem compartilhar, ficaria realmente muito feliz se pudesse trocar contigo esses meus pensamentos...
Um grande abraço,
Bella
bellacolevati@hotmail.com

Jana disse...

Humm terei que pensar mas farei kkkkkk

Eu já me perdi horrores!

Beijos

4rthur disse...

se é pra encarar o desafio, vamos nessa! Semana que vem, atenderei ao pedido - só adiantando que a primeira das coisas que não esqueço (mas que, pra ser sincero, estava guardada numa gavetinha lá no fundo da memória) foi o seu comentário sobre a aula de ciências que me fez lembrar.

- mas peraí, como é que você precisa lembrar de algo que não esquece?

- ué, fosse tão óbvio não teria graça... heheheheh

Ricardo Dalai disse...

uhauhauahuhaa

amei
to sem net
assim q der eu faço
e te aviso

bjo amore

Rafa Avansini disse...

Desafio aceito. Leia meu próximo post.
Bjos

Diogo Lyra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Diogo Lyra disse...

MINHAS 7 RAZÕES PARA O HOSPÍCIO:

1- Arqueologia fisiológica: limpo a areia das minhas gatas fingindo ser um arqueólogo. Os artefatos, como não poderia deixar de ser, são bolinhas de cocô e pedras arenosas de urina intactas.

2- Síndrome das pernas inquietas: sim, sou um daqueles freaks que fica balançando as pernas sem parar, como se tivesse bicho carpinteiro.

3- Às vezes fico me balançando, sentado, para frente e para trás.

4- Moedas: sou completamente insano na minha relação com as moedas. É caso de amor e ódio, pois ao mesmo tempo em que as junto, se assim o faço, faço com o intuito de repassá-las. Quando pago algo só com moedas, tenho a sensação de que saiu de graça.

5- Duendes: não vejo duendes por aí, sei que isso já seria demais, contudo sou vítima cotidiana de furtos promovidos poesses pequenos seres. Sou uma espécie de Gargamel caseiro, sem smurfs nem cogumelo. Bem, às vezes tem cogumelo sim...

6- Invisibilidade X: desde pequeno acredito que possuo o poder de ficar socialmente invisível ao conjurar, em voz alta, a expressão "invisibilidade X". O pior é que venho aplicando ela faz um mês - por conta de um mendigo que vive me pedindo cigarro e que me arranca uns 5 por dia. Tem dado certo.

7- Possuo meu próprio Deus: Teonanacátl é meu pequeno Deus louco que fica na estante do escritório. Ok, ok, na realidade Teonanacátl é só uma vértebra de cavalo que um matuto me deu numa viagem...

Mônica Montone disse...

Queriiiida, tatoo não doi tanta assim, não, rsrsr*.... Tenho uma pequenina... Mande bala!

E seu primeiro porre foi melhor que o meu, rs*, o meu foi de quentão, aos 8 anos de idade, kkkkk

beijos e valeu a lembrança, assim que der respondo o desafio :o)

bom fim de semana,

MM.

GABRIEL RUIZ disse...

Muito legal, curioso! =)
e a foto abaixo aqui, parece conversar com a do topo, não sei pq...
(comentário aleatório! rs)
otro bjo

ju disse...

eu não gosto de memes, mas esse foi um dos melhores que eu já vi.
:)

Ludmila Barbosa disse...

Aceitei o desafio e já tá lá.

Linda Graal disse...

hummmm