sábado, 29 de setembro de 2007

7 Coisas que me Encantam...

Metáforas. Adoro. Sou fascinada por pessoas que falam por metáforas. Parece que ela me passa a realidade de uma maneira tão tocável, que me encanta de forma arrebatadora. Aproxima minha mente de um quadro cheio de sentimento. É impossível resistir às metáforas. Tem uma, em especial, que considero belíssima, de Chico Buarque: “saudade é arrumar o quarto do filho que já morreu”. É tão real, que o sentimento chega a doer em mim.

Liberdade. Não estou me referindo à liberdade social, porque acho, sinceramente, que ninguém é livre o suficiente pra ser e fazer o que quiser, mas fico maravilhada por pessoas ou coisas que simbolizem a liberdade de atitudes, de postura, de aparência, de imaginação. Quando noto naturalidade em alguém, por mais constrangedora e chata que seja uma situação, fico encantada. O ser humano tinha que ser, por natureza, assim. Pôr em discussão o lugar onde a gente se perdeu ia tornar esse assunto demasiado longo. Mas são lindas a simplicidade e a naturalidade das expressões humanas.

Voz feminina na música. Não sei porque, mas gosto mais do que as masculinas. Principalmente no jazz. É claro que estou falando de boas vozes. Tá bom: Nina Simone. Sinto que a voz dança junto com a música, ou a música tenta, desesperada, acompanhar a voz. As duas parecem conviver sob tênue linha de guerra e paz. Fico hipnotizada pela voracidade e esqueço do mundo. Escute “I put a spell on you” e “Feeling Good” na voz da Nina e vê se não estou falando a verdade...

O vermelho. Não sou uma garota colorida. A não ser que sejam cores contrastantes, por exemplo: amo verde com vermelho, roxo com vermelho e por aí vai. Mas o vermelho... tem um poder especial sobre mim, em qualquer circunstância. Talvez seja por conta das febres que tenho, das febres que acho lindas, das febres que admiro nos outros e das quais preciso para sobreviver. Elas me remetem ao vermelho, indubitavelmente.

A noite. Mas essa fascinação tem explicação, pelo menos eu acredito que sim. Primeiro porque não gosto muito de claridade, ela deixa tudo muito evidente e nada parece ter mistério. Segundo porque, com raras exceções, o dia é mais quente e eu adoro o frio, o vento. Além disso, a noite tem um quê de dona de si, como se ela mandasse na gente e estivesse ao seu bel prazer nos fazer, ou não, satisfeitos. Muitas vezes, sinto que ela me leva até o seu fim, quando o dia nasce. Então, parece me dizer: ‘agora vai dormir, pois já me cansei de você’. E eu vou, apaixonada e com gosto de quero mais.

Força. Que fique claro que não estou falando de violência, mas sim de intensidade. Acho que é por isso que gosto tanto de livros biográficos. Fico procurando saber em que momento tal pessoa superou qualquer limite. Sabe quando a gente pensa: ‘como ele consegue agüentar isso?’. Acho lindo. A força, o poder sobre si mesmo ou qualquer outra coisa. Sou feito cachorro: consigo perceber quando uma pessoa é fraca, e pessoas assim nunca me alcançam profundamente. Gosto e noto de longe quando alguém é forte o suficiente pra me arrebatar. Isso é, sim, fascinante.

A Arte, leia-se, principalmente, a literatura. Talvez eu acabe escrevendo muito sobre isso e, ainda assim, não consiga ser clara. Sou capaz de ficar horas me perguntando sobre o feitiço que a arte tem sobre o ser humano. Sei que existem muitas teorias e críticas sobre, mas gosto de pensar no mistério do 'será mesmo?'. Como ela pode juntar em uma só expressão (seja em uma tela, em uma página, em uma película, etc) todos os desejos, as fomes, os medos, os delírios e os defeitos do homem. Mesmo quando é delicada e sutil, a arte opera de uma forma brutal. É como olhar-se no espelho e notar que seu reflexo conversa com você. Parece um feedback do que há de mais podre e lindo em sua alma e em seus pensamentos. Nem vou dizer mais nada.

Samantha

6 comentários:

Solin disse...

Podes crer... 7 coisas quem encantam a mim tb.

Polly disse...

Adoro esta sua séria das 7 coisas...amo de paixão. É tentador. Dá vontade de sair fazendo uma lista própria...uma coisa super gostosa. Hoje mesmo recebi um email com as 7 maravilhas do mundo segundo uma criança, nenhuma delas era monumentos perfeitos...coisas simples: ouvir, sentir, amar...lindo!

GABRIEL RUIZ disse...

Massa.
Vou indicar então. Voz feminina misturado com jazz, soul e principalmente rock: the bellrays.
é uma negra feladaputa.

Que livro estás a ler atualmente?

4rthur disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
4rthur disse...

não tinha visto esse post antes, e achei muito, mas muito bom mesmo. E verdadeiro, e por isso mesmo intenso.

Alguns rápidos comentários, alguns sérios e outros engraçadinhos:

metáforas: concordo. Tirando o García Márquez, rei das metáforas e criador de belas imagens simbólicas, te aconselho a ler Bom dia para os defuntos, um livro do Manuel Scorza que é uma explosão de metáforas geniais.

liberdade: para clarice lispector, é algo que não há quem explique e não há quem não entenda.

voz feminina na música: no Brasil há várias, de elis a Clara Nunes, mas como falaste do jazz, eu mando o trio imbatível: Ella Fitzgerald, Sarah Vaughan e a inconteste Billie Holliday.

a noite: perfeita descrição. a noite esconde mesmo mistérios.

força: vai bem quando equilibrada com a delicadeza da percepção da sensibilidade. As pessoas de personalidade forte são as que mais atraem, mas as que não as possuem também trazem uma curiosidade, como um mistério a desvendar, como se elas fossem... noite.

A Arte, leia-se, principalmente, a literatura. E ouça-se, principalmente, discos. E veja-se, principalmente, filmes. Ou misture metonimicamente os sentidos e ouça um livro, leia uma canção e veja em que bicho isso dá.

SAMANTHA ABREU disse...

tú me deixas encantada, Arthur.
rsrsrsrsss