sábado, 6 de outubro de 2007

Agora com 27...

Em dia de aniversário sinto, de um jeito estranho, que deveria escrever um texto sobre tudo o que já aprendi nesses 27 anos de vida, todas as coisas que já fiz, os amores que já tive, e todas as histórias fantásticas e inesquecíveis que vou carregar vida afora. Sinto que deveria, também, agradecer aos meus amigos por me tolerarem e por me fazerem tão feliz.
Entretanto, não é isso o que vou fazer.
Quero dizer que nesses 27 anos acumulei feridas, cicatrizes e tropeços. E isso, sim, me faz muito melhor. As coisas boas me fazem feliz, é claro, mas as ruins me fazem melhor. Bem melhor.

Sinto muita coisa boa em mim nesse ano, embora não sinta nenhum peso de idade (não, não, não!), mas, sinceramente, estou me sentido diferente de quando fiz 26. Sinto que atingi, finalmente e não definitivamente, um grau de maturidade interessante. Sinto uma coragem nova, uma animação para outras lutas, uma vontade de me revirar e me remexer em todos os cantos. Gosto disso. Sinto também uma independência única, talvez aquela pela qual eu sempre brigasse. Independência não só financeira, mas também de personalidade, de vontades e de atitudes. Fiz minha tatuagem hoje. Não que isso me prove alguma coisa, pois nunca fui proibida disso, mas sempre tive medo. E hoje fiz. Estou exultante por isso, é uma questão semântica.

E vou dedicar-me um poema, afinal, eu mereço!


Canção do Dia de Sempre:

Tão bom viver dia a dia...
A vida, assim, jamais cansa...
Viver tão só de momentos
Como essas nuvens do céu...
E só ganhar, toda a vida,
Inexperiência...esperança...
E a rosa louca dos ventos presa à copa do chapéu.

Nunca dês um nome a um rio: sempre é outro rio a passar.
Nada jamais continua
Tudo vai recomeçar!
E sem nenhuma lembrança
Das outras vezes perdidas,
Atiro a rosa do sonho
Nas tuas mãos distraídas.

(Mário Quintana)

5 comentários:

Bianca Feijó disse...

Poxa,Parabéns!
Acabaste fazem do seu dia um texto lindo!
Que neste dia especial, mas não somente hoje, você seja muito feliz.
Beijos!

Anônimo disse...

Ae Sá..parabéns pelos textos, pela tatuagem e pela pessoa que é. Bjo Gabriel...

4rthur disse...

Parabéns! Recorrendo a um trocadilho péssimo, infame diante da grandeza dos teus versos, acho que, aos 27, a vida se Abreu pra você (avisei que era péssimo...)

Você já leu um texto que escrevi sobre a tua idade? É realmente uma idade decisiva pros roqueiros. Vê lá e me diz depois:

http://absurdosturos.blogspot.com/2007/03/aos-27.html

E, mais uma vez, mil felicidades e amor no coração!

beijo.

ju disse...

adoro esse poema.
feliz idade, com atraso, mas sinceramente.
beijos.

Fabrício Fortes disse...

feliz aniversário, querida!
(um pouco atrasado, mas acho que ainda vale, né?).. ando meio ausente dessas coisas de internet, mas to voltando.
bjo.