quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

Johnny Cash não me trocaria por cavalos selvagens

.Na cabeça, blues.
Ele parado na janela com o cigarro pendurado na boca.
Eu tentei fingir tristeza, estalar os dedos e tossir para chamar a atenção e fazê-lo perguntar algo como “tudo bem?”. Mas não, ele permanecia fixado nos cavalos sendo cruelmente domados lá fora.
Eu entediada, com aquela voz alta e grossa no ouvido, comecei prestar uma atenção especial ao Johnny e me dei conta de que, se tivesse sido uma garota de sua época, teria me apaixonado por ele. Johnny Cash não me escaparia. Ele seria melhor do que essa esfinge parada em minha sala frente à minha janela, vislumbrando meus cavalos selvagens.
Ah, Meu Deus! Quero um homem de cama! Penso isso sozinha: “quero um homem de cama”. Meu pai cairia duro se me ouvisse. Por isso não casei. Nada é melhor, para uma mulher como eu, do que a liberdade de trocar de homem como de escovas de dente. Mas Johnny Cash era um homem de cama.
E agora, eu aqui nesse sofá bebendo sozinha.
Luis! – gritei quase histericamente. O blues estava muito alto e o vinho já tinha me levantado um pouco os pés do chão.
Ele virou-se lentamente, olhou-me com um semblante sereno de admiração. Eu continuei: — Você não é um homem bom para se usar na cama! – me explodiu da boca uma risada sarcástica, deixando-o ainda mais surpreso.
Ele se virou novamente, e continuou admirando a natureza selvagem dos meus cavalos.
Pois eu preferi continuar sonhando com Johnny Cash.
.
.
.
Samantha Abreu
.
.

22 comentários:

The Immature Girl disse...

gostei muito da personificação do joaquim phoenix pro johnny cash... aqual coisa bem, bem,... bem cama, hahahaha...

tem um cover do wild horses do rolling stones que é bem legal, é da bandfa the sundays!

bjus!

Lunna Montez'zinny disse...

Por que será que a gente sempre prefere os sonhos? Seria a realidade muito chata?

Carol Montone disse...

que delicia!irreverente..adorei
beijos grandes
parabéns pelo teu canto...
Carol Montone

Carol Montone disse...

que delicia!irreverente..adorei
beijos grandes
parabéns pelo teu canto...
Carol Montone

Paulo Castro disse...

J. sabia das coisas.
Fez muita merda por saber demais.
E mesmo cada merda que ele fazia, era linda.
Por que ?
Porque era um cavalo selvagem.
Desses que andam com escopeta peta peta e poesia por viver nos dentes.
Quem não é, nunca vai entender.
Eita, mundinho de pôneis...
Beijos.
°

Menina Lunar disse...

Mulher bêbada ou quase-bêbada é sempre uma figura colossal...
E viva Johnny!!

=)

Adoro teus contos moça..
Beijoooos e bom fds!!

Fabrício Fortes disse...

cavalos selvagens podem ser tão monótonos.. mas algo me leva a crer que johnny cash não poderia deixar de adorá-los também..

Ana disse...

Pouts...
Pois eu sou apaixonada tb pela voz deste homem... Este Mr. Cash é algo sobrenatural, tão intenso, tão deprê, e ao mesmo tempo, tão envolvente...
Sabe "Hurt" do Nine Inch Nails? Sabe "One" do U2? Já ouviu cantado por ele? É fenomenal...
Se quiser depois te passo, tenho muito Cash no pc...
beijos
Ana
www.mineirasuai.blogspot.com

Ludmila disse...

Texto magnífico, pois de fato, não há nada melhor do que sonhar com Cash, melhor se ele estivesse aqui.

Tyler Bazz disse...

Cada um se distrai como convém.. ;P

anjobaldio disse...

O Cash é maravilhoso, o Dylan, os Stones... mas a Patti Smith também é maravilhosa. Muito bom. Bjs.

FINA FLOR disse...

pelo menos você tem um sofá para sentar e beber e o meu que ainda não chegou, rsrsrs*

sua mudanã foi tranquila?

a minha? kkkkk.... passe no canteiro para saber.

beijos, bela

MM.

Thiago Rizardi disse...

Simplesmente sou seu fa!

jucosfer disse...

Se muito chamarmos/aclamarmos por um Johnny Cash será se aparece algum!?!?

Caito disse...

Minha nossa, depois de uma dessas tudo a fazer é ficar olhando os cavalinhos...!!!

Beijo!

A Flor do Mal disse...

Adorei! Imaginei as gargalhadas da personagem e a cena hilária.

Calebe disse...

Só você, viu, menina?

Gostei do conto.

Tipo, "homem de cama"? Nossa, que idéias...

Aê, fabricam esse tipo de mulher?

Engraçado é sabe o quê? Eu fico tentando imaginar como se chama essa mulher do seu conto. Parece que ele pede isso. Mas, embora seja inútil, também dá vontade de saber qual o nome do homem. E, agora, pensei outra coisa: o homem admirando os cavalos também pode estar pensando em outra coisa, que foi feito para mulheres de cama, ou coisa assim. O que acontece é que, não é isso, ele é mesmo um otário, que não dá atenção para a mulher em sua companhia. Ela quase estalando os dedos, já fingindo tristeza, uma tosse sem sentido depois, e o cara na porra da janela, admirando a natureza selvagens de uns certos cavalos...

Muito de bom gosto.

Beijo, viu?

anjobaldio disse...

Ôi Samantha, postei mais um vídeo teu lá no anjo baldio. Bjs.

Paulo Bono disse...

yeah, o texto flui.
Viva Johnny, Viva Samantha.

abraço

Cin disse...

Apenas os sonhos são livres...
ADOREI O POST!

Bjos!

Sic8 disse...

Cavalos, homens ou ratos? que escolha dificil...

Adorei o post, beijos

Jota disse...

Música é um troço mesmo muito sensual. Outro dia eu e um amigo assistíamos a um show de Diana Krall e chegávamos à conclusão que alguém que toca daquele jeito não pode ser ruim de cama.

Nada como a imaginação.