domingo, 16 de março de 2008

Anaïs Nin...

E daí que ando fascinada por Anïs Nin.
Devorando, comendo, vivendo de cada confissão.
Comprei dois: Henry & June, é claro, e Uma Espiã na Casa do Amor.
.
Vejo tantas das minhas febres, tantas das minhas alegrias, dos meus desejos e das minhas insatisfações, que tornou-se impossível não me apaixonar por ela. Sinto o mesmo (e quase todo mundo sente) por Clarice, mas com a seguinte diferença: o que Clarice transborda de alma e dor, Anaïs transborda de descoberta, de sexualidade e da intensidade da vida.
Percebo que não apenas se lê Anaïs, mas dá pra sentir, arder, ruborizar, olhar para os lados tentando perceber se alguém observa... é adorável e viciante.
.
"Acredito realmente que, se não fosse escritora, nem criadora, nem experimentadora, talvez tivesse sido uma esposa muito fiel. Tenho a fidelidade em alta conta. Mas meu temperamento pertence à escritora, não à mulher. Tal separação pode parecer infantil, mas é possível. Subtraia a superintensidade, o chiado das idéias, e você tem uma mulher que ama a perfeição. E fidelidade é uma das perfeições. Parece-me estúpido e pouco inteligente agora porque tenho planos maiores em mente. A perfeição é estática, e estou em pleno progresso. A esposa fiel é apenas uma fase, um momento, uma metamorfose, uma condição."
(trecho do diário de Anaïs em outubro de 1931, publicado em Henry&June)
.

10 comentários:

Salve Jorge disse...

Pra que serve ser esposa
Se és mariposa
E pousa
Enquanto ousa
De flor em flor
Trazendo o seu olor
De mudar
De embelezar o ar
A cada par
Sem parar
Que viajar que é preciso
Viver é consequência...

anjobaldio disse...

Também adoro a Anaïs Nin.

disse...

Gostei do trecho que postou. Vou procurar saber mais dessa escritora, não a conheço.

Polly disse...

Fiquei com uma deliciosa vontade de ler ela agora...tenho a impressão de que também vou me reconhecer em suas palavras.

Beijos

Jenny disse...

oi, Samantha!!
por coincidência (ou não), tam bém estou lendo Henry e June...
nossa! que mulher à frente de seu tempo, não?!
rs
tão fascinante que conquistou todos os homens (e até uma mulher) ao seu redor! temos muito o que aprender da vida e da arte do amor com Anäis...
um tesão!

beijão

Bianca Feijó disse...

Caramba Sa!

Adorei, confesso que conhecia só de nome, mas agora que ler ler...vai ser o próximo da lista!

Beijos!

Lunna Montez'zinny disse...

Interessante sua leitura, eu estou numa fase meio insana - lendo tudo sobre a Semana de Arte Moderna, pesquisando mais e mais. Li as cartas de Mário e elas me permitiram um novo olhar.
É bom quando a gente lê demais algo que realmente nos alcança. Isso acaba que nunca é demais, sempre é menos e a gente sempre quer mais.
Bye

Germano V. Xavier disse...

Também amo a Nin...

Abraços, Samantha!

Germano
Aparece...

Alê disse...

Amo muito tudo isso...
Anaïs é maravilhosa!
Salve!

Beijos, querida*

Luciane Oliveira disse...

Preciso falar de Anaïs?

Ela é simplesmente minha guia, meu norte, meu consolo, minha pedra angular. Amo essa mulher, ela escreve sobre mim, sobre vc, sobre todas nós que somos intensas, e pagamos felizes o preço de estarmos sempre neste estágio febril de cólera amorosa, acadêmica e nostálgica...

Adorei.