sábado, 26 de abril de 2008

Da Criação


Quando pari teus versos,
rimamos.
E a sintonia foi tamanha,
que não nos separamos mais em sílabas:

T U E U
E U T U
T E U
E U

O ritmo certo,
entonação.
E a devastação
de tudo o que eu chamava
métrica.

Sou tua obra, poeta,
tua ode, teu soneto.
Sou as letras com as quais brincas
nessa página branca.

Quando pari teus versos,
a sintonia foi tamanha
que não nos separamos mais.
.
.
.
Samantha Abreu
.

27 comentários:

Bianca Feijó disse...

Mas olha só!!!!!! Casa novaaaaaa!!!!!!!!


Gostei muito!Linda esta foto!!!!!!!

E quanto ao texto, vc sabe, é bem o estilo daqueles que eu A.D.O.R.O.

Beeeeijos

Ana disse...

O que aconteceu com os desejos das Marias, Clarices, Joanas e Suelis? Rsrsrs...
Brincadeira, linda!
Gostei muito do seu poema amalgamado.
Adoro ler você, poética, sarcástica ou enlouquecida!
Bjo!

Fred Mitne disse...

hummmmmmmmmmmmm... percebih que quem lutava pela intensidade da entrega, acabou se entregando... hehehehehehe... perigoso esse jogo hein?!?!?!?

bjo!

Clóvis disse...

Nossa, que lindo Samantha.
Quanta vastid�o, quantas respostas plaus�veis, desta inquieta�o pulsante que impera no peito.
O seu poema � t�o bonito, muito!

Beijos, querida.

Grazielle disse...

Deslumbrante...

Só vc mesmo pra domar as palavras desse jeito!!!!!!!!!

Tyler Bazz disse...

Acho que dos teus poemas, esse é meu preferido... se nao for, é um dos.

Coisa mais linda, meu... um encanto!

Leila Saads disse...

Lindo esse poema que paristes ;)

Gostei muito do "Entre um segundo também". Nossa mente voa, principalmente em situações extremas...

=*

Sunflower disse...

ô moça da pluma de chumbo, vc escreve com uma leveza coisas que vão ficar pesando na cabeça um tempão depois.

Tá, deixo vc casar com o Selton Mello por causa disso.

Flávia disse...

Coisa mais gostosa esse parir de versos que, ao invés de cortar o cordão, une - e o que era multissilábico vira um: amor em uníssono.

Lindo.

Beijo!

Jana disse...

um dia eu consigo isso...

beijos

MaicknucleaR disse...

Olá, vim fogear por aqui, rs.
bj

Paulo Bono disse...

não saco de poemas, mas o lance do TU EU foi massa.

abraço, escritora

KimdaMagna disse...

ELO, quente
eloquente
ardente.
Nu, vem
ardente
nuvem...

Irrevogavelmente,
escravo das goticulasperoladas
da KIanda.

Xaxuaxo

Sérgio Luyz Rocha disse...

Você se fazendo de poema e o poema se passando por você e um nem sei mais de tantas inversões e papéis trocados e finalmente quando o mundo não importa mais, a mistura-fusão-comunhão...caramba Samantha!!!! que poema lindo!!!!

Bjs!!!

D'angelo disse...

Isso é bom ao extremo, tu e eu.
:)

FINA FLOR disse...

e é tão bom quando essa sintonia acontece, né?

meniiiiiiiiiina, eu ameeeei seu lay novo, que imagem mais linda, de onde é? nossa!!!

beijos e boa semana,

MM.

ps: obrigada pela força e carinho no canteiro

Alex Sens disse...

Essas delícias... Gosto dos teus versos curtos e simples, mas cheios de uma verdade que chega a doer. Gosto mesmo :)

Robson disse...

a empregada descia minha rua triste e cabisbaixa e me levou de volta para minhas análises de que globalização veio para deixar o mundo ainda mais infeliz mais padrão a seguir esta idéia de um modelo de belo de feliz que perseguimos impostos por qualquer tipo de poder mas mais fundo ainda felicidade esta palavra aliada do humor do deleite estar triste ganhar perder e a ignorância que nenhuma universidade vai destruir pois os doutores trabalham com padrões fixos de teses hipóteses seguimentos do perfeitamente aceito e os loucos que um dia discordaram e depois foram aceitos tornando-se outro padrão depois esquecidos termos que repetir eternamente sem saber o que é o eterno mesmo a ficção de um Deus enche o saco quando tornada cartilha leituras como regras amarras impedindo o vôo se já não bastasse a lei da gravidade a dualidade da noite do dia repetição constante ainda tenho que provar que sei repetir copiar o ditado fazer a letra bonita a rima perfeita rica as figuras de linguagem todas decoradas as variantes de todas as aberturas e se sou malabarista alguém quer descobrir o truque e repetir a finta a negação hipocrisia humana tomar posse do ídolo para tê-lo sobre controle adestrado o cão exibi-lo aos amigos no salão para as madames dizerem comprei li tenho sei sim sei a tabuada o logaritmo a poesia recitada o amor no peito a desgraça feia magra gorda bonita maravilhosa e o paradoxo de saber de tudo e aceitar continuar fazendo iludindo a vida esperando a morte o que terá acontecido com a empregada não comprou seu celular brigou com o namorado foi maltratada pelo patrão se sente fora do ninho no condomínio fechado teve um momento de reflexão e todas as interrogações sem chegar a um questionamento todas as vidas mesma vida mesma morte.

Salve Jorge disse...

Eu vi nua
A casa sua
Aberta pra rua
Mas não qualquer rua
Uma rua
Daquelas que desvirtua
De tão tua
Vejo que caminhas na lua
Por lá mande um salve a São Jorge
E ao dragão...

Oliver Pickwick disse...

Métrica? Que métrica? Quem se importa! A propósito, não a violentaram essa tal de métrica naquela canção de Lulu Santos e Herbert Vianna?
Sem rimar "amor" com "dor", escreveu um poema de estética singular, um verdadeiro puzzle refinado de palavras.
Gostei da roupa nova, e da foto em que usa óculos de dedos. Língua bonitinha, hein?
Um beijo!

Fabricio Fortes disse...

belo poema.. e o visual do blog ficou muito legal.. cada vez melhor, samantha!

Cabraforte disse...

Apaixonante!!!

o eu, o tu, o teu, o nosso!!

bj

sempre bom vir aqui!

Cabraforte disse...

Apaixonante!!!

o eu, o tu, o teu, o nosso!!

bj

sempre bom vir aqui!

Lunna Montez'zinny disse...

Seus versos numa metade de manhã e resquícios de tarde. Numa hora dessas, nem cedo, nem tarde. Hora perfeita? Hora esquecida, em que a pele trêmula, seria o vento que arde lá fora? Seria os pingos da chuva que virão mais tarde?
Seria um olhar que ficou antes do sono chegar? Adorei seu versar, as possibilidades que surgem depois do último verso. Continua...
Abraços meus

Alê disse...

"Sou as letras com as quais brincas
nessa página branca."

Ainda preciso comentar?! Afff...

Beijos*

FERNANDO disse...

Apaixonada, Samantinhina? Se o for, parabéns!

E abordaste o tema bem pra cacete, hein? versos, rimamos, sílabas, entonação, métrica, obra, poeta, soneto, letras, página: Haute Intimitè.

Beijocas!

Adriano Caroso disse...

Um primor este poema! LINDO!