segunda-feira, 26 de maio de 2008

Em Parcelas

Ok! Porque alguém pode querer sem o sotaque...

.

Em Parcelas

Porque o que eu cobrava era, mesmo, o que me era devido: a liberdade parcelada em doze boletos. Um para cada mês. E era a liberdade pouca, mínima, e cheia dos seus bobinhos valores. A liberdade de cestinhas e não carrinhos de supermercados, a liberdade de patins e não de limusines. A liberdade minha, colorida e afiada, feito ponta de agulha nova. A sua era, eu me lembro, uma moto serra desgovernada, que amputava tudo à sua volta. Quase perdi o braço esquerdo quando você me rasgou o peito à procura do que pensava ser seu. Jamais esquecerei, mas te perdoarei desde que me pague em dia todos os boletos, protesto. Fique você, com sua liberdade de fazenda e eu, nada coitada – não, não sinta pena - fico com meu pequeno sombreiro à beira mar. Feito o mar, meus braços, sem suas dilacerações. Já passou janeiro, pagou-me, não cobro. Mas esqueceu de fevereiro, no carnaval, sua festa era demais, me atormentou sua busca, sua luta pra me arrancar o que me resta, como se sua imensidão já não lhe bastasse. Afaste-se. Não boto em agência, nem mando capanga, já é você meu algoz. Pague-me, apenas. Mês a mês até que, finalmente, estejamos absolvidos do nosso crime. Paguemo-nos, pois, o que já é vencido. E, sabemos, falido.

.

18 comentários:

Fred Mitne disse...

proteger o coração sem se privar do amor... amar com "liberdade de patins".. hehehehehehe... bem feminino isso.. e tudo o que é feminino me encanta... tão fascinante quanto tuas palavras ornamentadas pelo seu belo sotaque...

bjo samanthinha!

Polly disse...

Tô sentindo cheiro de amor no ar...aquela coisa boa que inebria, fascina...entontece e encanta!

Beijos

Jucosfer disse...

gostei!
gostei!

Cássio Amaral disse...

Os librianos são fogo!!!

Fabricio Fortes disse...

estamos sempre pagando.. com juros e mais juros (e algumas juras para custear o preço do amor)..
bem bom isso, samantha!

Dani Koetz disse...

Oi Samantha,

Gostaria de colocar seu blog num projeto da ag.

Faça contato, por favor.

Bjos

Camilinha disse...

achei inspirador...

beijos daqui...

Jana disse...

Guria, eu gostei, mas a música estava tão alta que tive que ver o vídeo 3x para entender tudo q dizia rsrs

beijos

• Camila disse...

espero que tenha gostado da historia!
hahaha
beijo

Grazielle disse...

No comecinho a música tava alta aí tive que voltar, dpois a história entrou no ritmo da música... E amei simplesmente... Mto bom, mesmo...

F. Reoli disse...

Recebo teus lábios coloridos com palavras e te pago com os meus! Beijo!

Ana disse...

Um fogo aqui dentro que custou tanto a apagar...
Beijos!

Cin disse...

Bonito mesmo!

Sunflower disse...

ô, doce de pimenta, bota os lyrics aí, pra nóis ler junto!

vc fala de parcelas, enquanto meu coração vive sob um regime de "o gerente endoidou e está tudo queimando em ofertas".

beijos!

Sérgio Luyz Rocha disse...

...pra começar, teu sotaque insiste em repercutir sons de talento...
que poema lindo!!!daqueles cheio de dor/rancor/(dí)vida...

Bjs!!

Wiskow disse...

Não conhecia o blog. Gostei bastante.
abraço

Salve Jorge disse...

Só pra deixar registrado
Que eu adoro seu sotaque
Sua libeRdade
Cada verso entoado
Acaba que me invade
É um baque
ARde...

Adriano Caroso disse...

Eu já estava com saudades destes seus poemas em vídeo. A forma como recitas, mostrando nada e ao mesmo tempo tudo, é muito sensual. A voz é perfeita, sempre cantando o poema. O sotaque uma delícia. O toque da pinta no lado direito do rosto mais abaixo do lábio, que é por sinal, um desenho perfeito. Os dentes de coelhinho que tem dentes bem pequenos. A tatuagem no ombro...Tudo aqui é perfeito e muito bom. Só não superam a beleza das palavras que saem da sua boca!