quarta-feira, 11 de junho de 2008

FILO 2008

E aí que eu esqueci de dizer antes, mas tá rolando o FILO (Festival Internacional de Londrina).
Pra quem não sabe (deixa eu me gabar com isso), o FILO, que completa 40 anos, é o mais antigo festival do Continente, além de ter sido tombado pela UNESCO como Patrimônio Cultural da Cidade, do Estado e do Teatro brasileiro.
Á-há!
E esse ano está bom demais.
(tirando os problemas com organização que são lamentáveis)
.
São escolas teatrais de todo o país e internacionais. Teremos peças da França, Bélgica, Dinamarca, Itália, entre outros e, principalmente, ‘O círculo de giz caucasiano’, de Bertolt Brecht, por uma escola espanhola. Hum...
A gente vai ter também o Cabaré do FILO, com shows de Elza Soares, Ney Matogrosso, João Donato, etc.

Clica aqui pra saber mais, ó: FILO

Ontem fui ver a peça “Chapa Quente”. Texto dos quadrinhos de André Kitagawa e direção de Mário Bortolotto.
Achei fantástica no quesito inovação. A mistura de quadrinhos com personagens reais foi categórica. O cenário era todo de quadrinhos em movimento, como se os atores fossem desenhos-personagens. Confesso que esperava mais força no roteiro, mas a peça não deixa a desejar, não. Sem falar na trilha sonora... estupenda e muito bem adequada.
Vale, ô se vale...

Um comentário:

Fred Mitne disse...

bem que poderia ter um FISP aqui em Sampa!