sexta-feira, 29 de agosto de 2008

(Dis) pára-te


A contradição total entre ser e estar. Da impotência em si mesma, lhe nasce força.
É como a luta das ondas e das rochas
.................................[afinal, qual delas desiste?].
E, de repente, quando não resta escolha, a menina vive.
Assim: de sobras e de falta, de negação ela aceita o que há de vital em cada ínfimo fio de cabelo.
Restos que são tudo, medo que aduba coragem, o cinza das incertezas na claridade do impulso.
O reflexo em seu próprio rio negro.

O aperto da cama vazia, o travesseiro seco de lágrimas.
..........................[na febre evaporam-se]
Tudo desconfortavelmente, mas ainda vida. A sua, e única.
E dele sente falta quando não está lá.
A contradição dolorida entre ser e estar.


Samantha Abreu
foto: Rafal Bednarz

15 comentários:

Jucosfer disse...

Parece ser uma contradição necessária.

Mwho disse...

Sempre resta alguma coisa...
Para reconstruir muita coisa!

Sunflower disse...

estar sendo, um gerúndio necessário.

Por mais que odeie gerúndios

Biani Luna disse...

acho que tu fez essa pra mim. é certo!!
lindo, lindo
beijo,

Guru Martins disse...

Tu é que se revelou com bela escrita.
Venha conhecer o Balaio e seja bem-vinda!

Grande abraço!

Cláudia I. Vetter disse...

o título e a foto matam.

matam.

;*

Cin disse...

Vejo que minha escritora nata continua em forma...
Bjos!

Yara disse...

Linda, linda... estava com saudades desse cantinho..
Beiiiijos!!
>>Literatura Inside<<

Solin disse...

é um ser e um estar, as questões!

adoro seus título de seus textos.

bj

anjobaldio disse...

Como sempre, literatura maravilhosa. Grande abraço.

aline disse...

Olaaa Samantha!
Sou estudante de jornalismo,e gostaria de conversar contigo,e lhe entrevistar.
Meu e-mail é;alinemoraes_judo@hotmail.com
Por favor entre em contato comigo!
A entrevista seria sobre,literatura feminista.

Gabriel disse...

Inspiradíssima.
E só mais outra palavra: apavorou!

abraço na alma.

Alê Quites disse...

"E, de repente, quando não resta escolha, a menina vive."

dentes, músculos e o desejo de estar.

Beijos***

Polly disse...

A contradição dolorida entre ser e estar...maravilhoso, como sempre.

Beijos,

Polly

Rê Ruffato disse...

Primoroso, Sá.