sábado, 27 de setembro de 2008

Arco-Íris



É solar o meu espectro.
E te fiz de prisma,
te fiz de rima,
de cisma.
Quando, na verdade,
o processo todo era,
apenas,
de decomposição
da minha luz.


Samantha Abreu
foto de b.Berenika

20 comentários:

Grazzi em ContRo disse...

aiai.. tomou sol demais né..
será que é por isso que algumas pessoas andam preferindo tumbas?

Ficou lindo!bjo!

enten katsudatsu disse...

poema bem construído. e muito bom. o som embaixo é bom a menina é fera.

beijo e valeu!

Dolfo disse...

que fotografia bonita rimando com o poema ... abraços!

Camilinha disse...

muito lindo!!!


tudo é reflexo da gente mesmo!!! né?!


beijos daqui...

Fao disse...

da lei - decompor pra nascer noutro lugar

Rodrigo Carreiro disse...

Que simplicidade bela de se ler :p

Solin disse...

poema de Samantha Abreu com Lomografia é maravilhosoooo.

amo.

Daniel disse...

Lindo...

http://so-pensando.blogspot.com

Su disse...

Belo poema!


bjosss!!

Agnes Amarantine disse...

Daqui de Recife, dividida entre o concreto moderno e ruínas de Olinda, recebo esses teus versos que me arrebataram a existência. Já me senti tantas vez assim...
Mando-te agora uns versos feitos sob efeito semelhante.

"Ao anoitecer
o escuro dá forma
aos olhos da luz

será divina
será vista
ou simplesmente bem-vinda

para o filho
que um dia
nascerá azul"

Abraços dessa libriana com ascendente em escorpião...

ronaldo braga disse...

eu sempre me surpreendo quando visito este blog.
a poesia é sempre uma aula pra mim,
aula de composição, de ritmo e pricipalmente em beleza e conteudo.
samantha se tiver interesse eu gostaria de ler alguns poemas seu, como esse que agora eu li, no programa interditado que vai ao ar toda semana no www.youtube.com
interditado já estamos no 9.
fizemos :
interditado 1 - com luciano fraga
interditado 2 com zeca de magalhães
e outros.
meu email
ronaldobraga.s@gmail.com.

Marcus Vinicius disse...

saudade de vir aqui...

ótimo texto

bjs

Rogério Saraiva disse...

Não entendo esses poetas.

KimdaMagna disse...

ELEMENTAR CARA SAMANTHA, ELEMENTAR.
RITMO METEÓRICO NA CONSTRUÇÃO DO "DITO".

SIMPLESMENTE BELO

ABRAÇO NA KIANDA

XAXUAXO

Fabrício Brandão disse...

É surpreendentemente tão nossa essa condição de ser no outro. No entanto, há de se ter cautela quanto ao fato de, muitas vezes, sermos levianos com nós mesmos. Mesmo sabendo que o outro jamais será do jeito que pretendemos, ainda recorremos às velhas e cultivadas repetições.

Beijos, querida! Esse poema é ótimo!

célia musilli disse...

Que poema lindo, Sabrina..e a fotografia tb.. Obrigada pela visita ao meu blog e sobre o Londrix, pra mim foi o melhor de todos..Um beijo!

Jucosfer disse...

luz arco-íris linda, por sinal.

Linda Graal disse...

isso é tão de maravilhamento!!! ai ai...

beijo, querida

anjobaldio disse...

Sempre me renovo te lendo. Bjs.

Versos Insensatos disse...

Grand finale! Perfeito a descomposição que se sucede!
Sem tietismo, tu é fantástica de verdade...

Thiago A.