sábado, 18 de outubro de 2008

Da arte feminina de (não) ser

foto de Katarina Sokolova
.
Não, não há beleza alguma em ser mulher. Dói.
Mutilamos as cutículas das unhas, colamos as dos cabelos,
descolorimos uns fios, botamos tinta noutros,
tiramos o espartilho, mas assumimos a responsabilidade de continuarmos apertadas,
e sem a ajuda dele.
Clareamos os dentes, escurecemos a pele, artificialmente,
engrossamos a alma, afinamos os calcanhares,
lavamos o suor, lambuzamos a base,
arrancamos os pêlos. Peruca pra quando eles não nascem.
Fortalecemos a individualidade, enfraquecemos os laços.
Cada vez mais.

Não, não há certeza presente no rosa. Desigual.
Aumentamos a fome, de doce, de amor ou de vida,
comemos menos, de todos eles.
Desejamos um filho, desistimos de tê-lo,
afogamos a fraqueza das lágrimas, choramos cada vez mais em romances.
Deixamos de fazer romance.
Procuramos ser mil, ofendemo-nos por não sermos únicas,
atraímo-nos pela efemeridade, magoamo-nos pela falta de raiz,
rivalizamo-nos na guerra, amparamo-nos da deserção.
Esquivamo-nos de sermos o que somos.

Dissimulamos, depilamos, colorimos.
Mas engolimos a delícia das lágrimas,
e saboreamos a doçura dos sorrisos.
Pra dias de sangue, absorvemos e
disfarçamos.
Jogo pra qualquer cintura.

Não é belo nem certo.
Mas é artístico.


Samantha Abreu

.

39 comentários:

Gabriele Fidalgo disse...

Nossa, Samantha, esse é um dos melhores textos que li nos últimos dias. De verdade. Detalhou a alma feminina com força e delicadeza. Do jeito que realmente somos.
Amei!

Beijos, querida.

Braga e Poesia disse...

e o homen , onde estará do alto de sua burrice?
samantha, vc com esse texto perguntou a minha alma uma resposta sobre o homem, e acredito que a contradição seja a marca do humano e nem somente das mulheres, porem o homem é tão burro que se acha o tal.
belo texto, poetico e uma declaração de amor a vida.
vc sempre me surpreende e cada vez mais.
sou fã de sua escrita.

Paulo D'Auria disse...

"tiramos o espartilho, assumimos a responsabilidade de continuarmos apertadas,
sem a ajuda dele."

Adorei isso, traduz e resume o texto todo, a contradição, a feminilidade, a responsabilidade, a modernidade e o individualismo.

Belo texto!!!

Beijos

Agnes Amarantine disse...

um verdadeiro ativismo, isso sim!!!

Alex Sens disse...

Disse lindamente. Mulher é o que há de mais artístico.

Beijos.

.Dazinha. disse...

Faltou palavras agora, lindo, selvagem, forte, doce, suave.
Todas essas contradições maravilhosas que somos,rs.

Adorei.

Beijao

Adrienne Myrtes disse...

Somos ensandecidamente humanas e, o principal, não temos medo do ridículo. Isso nos torna gigantes.

Belo texto. Bjs.

Erica Marie disse...

Lindo, lindo!

Eu, que ainda caminho na arte de escrever...fico cada vez mais fascinada com suas palavras!


Bjs!

Camilinha disse...

e ser mulher deixou de ser orientação sexual e virou estado de espírito que congrega sentimentos, filosofias, arte. e quem não passou por esse estado ainda não viveu...



beijos daqui...

enten katsudatsu disse...

Sam,

Achei muito sincero,muito honesto.

A mulher é o próprio reflexo da natureza, sem elas nós não vivemos nunca!!!!

Beijo.

Cássio Amaral.

Alexsandro Oliveira Santos disse...

Deixamos de fazer romance.

Fabrício Brandão disse...

Não tenho dúvida de que as mulheres carregam em si o diferencial de um olhar prático e sensível da vida. Emocionalmente falando, vocês estão muito além do universo masculino, penso.

Beijos, querida, e parabéns pelo sensato e intenso post!

On The Rocks disse...

belíssimo, intenso.

ser mulher é realmente um dom divino. adoro vocês.

bj.

p.s: fico feliz em saber que sou seu dj favorito.

Izabel Xarru disse...

sá...a gente pegou mais coisa pra fazer e menos pra receber, fora o nada-ecológico queimar de soutiens que ainda se arrasta nos discursos e decursos.
e outra q vivemos como produtos gerando produtos, e valoriza-se o yang em detrimento do ying, um saco.
e é isso que seu texto me lembra: delicadeza, sim, sensibilidade, etc. não de anjo nem gata do borralho, cada vez mais do borralho(trampos na rua, na casa, com filhos e com homens-filhos ou canalhinhas sem um pingo de charme).
alguma coisa nesse texto cheira a desarme. íntima.
de qualquer outra que seja você, uma incerta vez.
o íntimo é o que mais fascina em um texto. ele encontra o leitor entre suas alegrias e ermos. o íntimo fala onde a oração dorme.

Rodrigo Carreiro disse...

Primeiro: tesão de foto!
segundo: por isso que eu prefiro as naturais
;p

Linda Graal disse...

ei, isso é sim como cassinho, muito verdadeiro, de uma verdade sublimada e linda, como vc!

beijo

Diogo Lyra disse...

Visitei no dia certo.

Samanthinha, como é uma grande mulher, é, também, uma grande artista!

D'angelo disse...

Nossa!!! Eis o que sou.
:)

Liz disse...

O que posso dizer senão...perfeito de novo???
Te adoro amiga...
bjus

célia musilli disse...

Samantha, decerto ser feminina é uma arte...de muitas faces...Seres mutantes é o que somos e nisto está nossa graça permanente, como num jogo de espelhos. Quase, quase indecifrável..rs Um beijo (linkei vc no meu blog, ok?)...

Sunflower disse...

eu entendo na pele. Na pinicação que faz a descoloração na pele.

beijas

Nao tem Sentido disse...

Perfeita descrição...

Muitas vezes não há necessidade de tudo isso. Mas taí. Escreve com a alma.

Maravilhoso.

Bjs

Lorena Pôssa disse...

Tive um professor chamado Caio, que tem um blog (O CC do Caio Cesar da WWW).
Lá conheci o blog do Humberto (O Humberto explica), onde conheci o Cremdeuspai.
Agora conheço essa maravilha aqui!

Lindo texto. Parabéns!

KimdaMagna disse...

e saber da ideia que o lado masculino que há em toda mulher pode revelar quando pensa sobre a sua arte de não ser feminina.
ou será que isso é tudo conversa de psicólogo?que um homem é um homem e mulher é mulher? que foi o conceito sobre arte que se massificou? traduzindo os gestos mecânicos ficamos mais frios?

Abraço na Kianda

Thiago Quintella disse...

A mesma impressão que isso não é belo, é que faz das mulheres essa beleza, beleza na suposta dissimulação!
òtimo texto!

Zinaldo Velame disse...

Adorei seu texto, Samantha! Você falou quase tudo sobre a Mulher, essa coisa divina que existe para nos dar força e vontade pra lutar. Sou fã do seu trabalho. Abraço!

anjobaldio disse...

Ôi Samantha, adoro ler teus poemas. Bjs.

Peterson disse...

Talvez o melhor beleza da mulher seja exatamente a dor de sê-lo dentro e fora. Não sei, não tenho salvo-conduto para dizê-lo =). Belo texto.

Sérgio Luyz Rocha disse...

...ainda a pouco pensava saber alguma coisa deste intrigante universo feminino; mas...só agora sei.
...pode não ser belo, nem certo...mas foi cruél e lindo...
(o mais curioso é que também descobri que ainda não sei ser um homem por completo...)

Bjs!!

anjobaldio disse...

Gostei muito do teu comentário lá no meu blog. Afinal, para que serve a arte mesmo?

Tânia disse...

que bom, que bom! revelei. bom em tê-la encontrado por aqui, ou por aí.

;)

Karla Hack disse...

Genial..
Não só pela forma descontraída e cheia de sentir dos versos..
Mas por ser universal..
Garanto que toda mulher vai se identificar com esta performática dor...

;D

bjus

acqua disse...

Nossa, há tempos não aparecia por aqui e veja só o texto que encontro aqui. Adorei o desenvolvimento e fiquei aqui a pensar em todas as amarras que temos na pele e na alma. Aff. Abraços meus

Srta. Scarpin disse...

Super bacana!!

Calebe disse...

E eu precisava mesmo dizer, depois de ter lido, após semanas, mais que duas vezes, que adorei esse poema. Melhor só se a língua passeasse, passeasse e passeasse, incansável, como ela é, pelo corpo das mulheres lindas - como você.

bjos

.leticia santinon disse...

Muito bonito.

Anônimo disse...

Nossa!
Adorei o texto..lindo mesmo!
E olha que o assunto é clichê mas nunca vi ser tratado com tanto sensibilidade.

Parabens!

Rê Ruffato disse...

(sem fôlego)...
Artista é você, cada dia mais.
Um dia me descubro essa mulher que vc descreveu tão belamente.
Me falta... complexidade?
Beijos

BAR DO BARDO disse...

cheiro gostoso de fêmea no ar...