quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Possessão

.
Em cada contorno um perigo. Curvas são assim, nunca se sabe o que vem depois da virada. Por isso, prefiro, eu mesma, dirigir. Sei bem das minhas ribanceiras. Desço despenhadeiro abaixo e, quando chego à cintura, minha mão já não é mais minha. Amor tem dessas coisas. O poeta disse uma vez: 'transforma-se o amador na coisa amada, por virtude de muito imaginar'. Eu concordo com ele, senão qual outra explicação para esses dedos serem os seus à essa altura do ventre? Pois bem, eu apenas fecho os olhos. O resto é só possessão.


Samantha Abreu
foto de lina scheynius

9 comentários:

Sunflower disse...

Sabe uma das coisas que eu semore tive um med esmagador de alma? de ser possuída pelo coisa ruim. Por studar em colegiio de freire ouvi as mais macabras estórias. E todas elas aconteciam com as garotas bacanas.

Outro medo esmagador de alma que tenho, é depois do exorcismo da última paixão, eu não conseguir ser possuída novamente.

Beijas

Rodrigo Carreiro disse...

Acho que dessa vez você escolheu a foto perfeita, casou perfeitamente.
Bela.

Camilinha disse...

a foto e o texto estão excelentes! porque, no fundo, é isso que acontece: a imaginação (ainda mais de quem já vivenciou) é tão poderosa que nos transporta, nos faz marionetes e fantoches...

porém, quando a lembrança é tão forte que esmaga, a gente faz uma força gigantesca para não usar a imaginação...


bjs daqui...

Ilton Santana disse...

nossa...
incrível texto, "por isso, prefiro, eu mesma, dirigir. Sei bem das minhas ribanceiras".

sorri no final,
vou ficar seu fã;

bjos

Cristiane N. disse...

Samantha, que inveja! (ositiva ok?) adoraria ter o dom de escrever assim, mas me contento em ser mera leitora de coisas tão bem escritas. Considero que ler e apreciar também é um dom, não tão maravilhoso, mas extremamente prazeiroso.

Alê Quites disse...

Posso até dirigir, mas não sei ao certo a direção e destino.
Beijos

.Dazinha. disse...

Eu,ao contrario, estou precisando de algumas curvas.Meu caminho caiu em um precipício por sempre tentar manter a reta,e esses dedos que sinto na altura do ventre, são como dedos amputados que você ainda sente mesmo não os tendo.

Lindo texto, lindo blog.
:)

Paulo D'Auria disse...

Sim, curvas são perigosas! Ah, como são! Se beber, acelere!

Beijos

Aline Aimée disse...

A força desse texto é uma coisa, menina, arrebatadora! E a imagem encaixou (opa!) com uma luva! Sou sua fã!!!