quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Do Indivisível


Olhos se perdem na imensidão de experiências oferecidas. A manipulação sutil do amor se dá em cada possibilidade de viver a plenitude, de multiplicar compartilhando.
Só o amor tem esses paradoxos.

A menina sonha acordada, a comida esfria no prato. O garoto não quer mais o futebol nas noites de terça. O que falta, juntos, acrescenta.
O amor teima em ser uno.

E tudo o que é meu passa a ser do outro, e tudo do outro quero, mesmo com a inutilidade do desconhecido. O que importa é a junção da divisão se fazendo inteireza.
Só o amor é.

... e outras coisas que absorta pela beleza, não vejo. A unicidade será (re)dividida. E tal dor pode ser individualmente intolerável.
Todo the end é fim.


Samantha Abreu

8 comentários:

Solin disse...

é querida, "só o amor é"
e a gente fica sempre tentando entender.

bj p vc

Laylana disse...

é,o amor é uma coisa louca e tola.dá um frio na barriga, as hrs parecem que não passam , o tempo parece não ter fim...essas coisas todas que a gente só enxerga qdo ama. às vezes amo o amor, mas às vezes o odeio.
gostei do que vc escreveu.parabéns.
se puder passe no meu!!

Renato Alt disse...

Que belo texto. Intenso, delicado e no qual é impossível não se ver, ainda que essa visão seja a de uma lembrança.
Grande descoberta este espaço. Meus parabéns.

. fina flor . disse...

bela dona,

hoje passo somente para desejar que seu natal seja doce como o perfume das rabanadas e que seu "dois mil e love" seja repleto de gratas surpresas!!

beijos,

MM.

. fina flor . disse...

bela dona,

hoje passo somente para desejar que seu natal seja doce como o perfume das rabanadas e que seu "dois mil e love" seja repleto de gratas surpresas!!

beijos,

MM.

Rê Ruffato disse...

Lindo, lindo, lindo.
se o amor é, quero ser.
Soon...
beijos e saudades

Emerson Souza disse...

"Embora o amor seja, como a fumaça, algo que você nota, você sente, que você até vê, mas não consegue pegar, ele exerce um controle invisível de proporções inimagináveis. Ele tem um poder de transformação nunca antes registrado. Ele impregna de uma forma tão intensa que na próxima vida você ainda vai trazer o cheiro dele nas roupas."

A Renata tem razão, este é um espaço inspirador.
Feliz natal e um novo ano surpreendente.

BAR DO BARDO disse...

bom texto, principalmente em "O que importa é a junção da divisão se fazendo inteireza.
Só o amor é.".