sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

das resistências

"Tenho a boca afiada de punhais
não choro
olho os faróis com duros olhos
ardidos de quem tem febres
mas não sangro
as mãos vazias deixam passar o vento
lavando os dedos que não se crispam
não há palavras, nem mesmo estas
o único sentido de estar aqui
é apenas estar secamente aqui
cravado como um prego
em plena carne viva da tarde."
(Caio Fernando Abreu)

2 comentários:

BAR DO BARDO disse...

Caio aqui me levanta - para o abismo da realidade.

Linda Graal disse...

que lindooo!