quinta-feira, 2 de julho de 2009

Minha Última Guerra

Da minha janela,
todo o espaço que é mundo
(lá daquele canto até o outro),
não me cabe.

Meu peito,
inchado,
está ativando os pinos
de um campo minado.

Dentro de mim

começou a última guerra.


Samantha Abreu

6 comentários:

Erica Maria disse...

Me sinto assim as vezes!!!

Adoro seus textos!!!

Acompanho a mto tempo!

Bjos!

BAR DO BARDO disse...

You're so beatiful!...

Periquita disse...

Prazer lhe ler. Tornei-me seguidora. bjo.

ºª disse...

senti o poema sentadinho bem perto de mim.

Moacy Cirne disse...

Oi,
O Germina Literatura trouxe-me até aqui.
E gostei bastante,
como já tinha gostado do que li
no Germina.
Aliás,
sem pedir permissão
(desculpe-me!),
publiquei um texto seu no Balaio.
Com os devidos créditos, claro.

Um abraço,
Voltarei.

Adriana disse...

o peito inchado, o espaço que não te cabe.Essa guerra interior está transbordando em poesia.muito bom...