sábado, 22 de agosto de 2009

Sal nos Olhos

A chuva lá fora,
mas molhado está aqui,
inundando a casa que é vida
e os olhos que ardem
nessa água de mar.
.
Desaguar salga feridas.

Desaguar...
Uma única palavra,
pra tantos litros de mágoas.


Samantha Abreu
foto de Mariah Jelena Kordzadze

14 comentários:

BAR DO BARDO disse...

Molhando dentro...

F. Reoli disse...

Junte-se uma dose de tequila e eu bebo...
Beijo, Sam

Erica Maria disse...

Adoro seus poemas...

Bjos.

F. Reoli disse...

Amore, meu brother mais velho tá entrando no mundo dos blogueiros - aliás sou suspeito, mas ele escreve bem pacas - e to ajudando a dar uma divulgada no blog dele. Se puder, passa lá http://lazeira.blogspot.com/
Beijos

Adriana Karnal disse...

desaguar faz um bem...

Tarcísio Buenas. disse...

samantha, bela samantha!

bj

disse...

Bonito. COmo sempre.

ÉRRE-SÊ disse...

Sinceramente , quase um haikai. Minimalista que só.
Interessante.

Carol disse...

Nada melhor mesmo pra desaguar as magoas. Adorei o post abaixo da menina feia kkkk tapa com luva de pelica rs
Bjo

monica mosqueira disse...

Indicaram-me esse blog!
Estou lendo..

carlus disse...

realmente,
"desaguar salga feridas"

queria fazer uma poesia tão boa assim, rs


lindo mesmo;

D'angelo disse...

Olha mulher, vc é uma dessas que são muito parecidas comigo.

Bjuu

F. Reoli disse...

Saudade de ler coisa nova... sempre vem coisa boa de você... beijo

célia musilli disse...

Beleza de poema, Samantha. E me diz, como faço pra participar dos Versos de Falópio?? Um beijo!