domingo, 7 de fevereiro de 2010

7 Coisas de tão longe

Os 7 motivos que me fazem entender como ele consegue, a mais de 9 mil quilômetros de distância e com muitos anos de ausência, ser tão presente:
  1. o jeito como sorri: não perco a mania de comparar com outras bocas e lembrar se torna inevitável. Os dentes retos e juntinhos. Um canino sobressalente e eu uma presa desarmada;
  2. a assertividade: que quase se confunde com altivez. A forma como domina, assegura, impõe;
  3. a hombridade: o valor que dá às coisas simples, essenciais, o caráter, a personalidade forte;
  4. a sensibilidade incomum: quase imperceptível, mas que se entrega em pequenos momentos e revela como tudo pode ser infindavelmente doce;
  5. a eloquência: a inteligência através de experiência, a vida escancarada, o poder do convencimento, do envolvimento;
  6. a dor: que o faz tão lindamente humano, as experiências, as feridas não totalmente cicatrizadas;
  7. a força: a liberdade que carrega com si mesmo, aquela de fazer o que acredita, de dizer o que pensa, de enfrentar o que tiver que ser.
É lindo de ver.
É inesquecível e, vez enquando, volta a me atormentar.

Nenhum comentário: