terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Devaneio Vicioso


Mais alguns segundos
para que eu possa terminar este cigarro
e aspirar
no trago
a sensação violenta
de ser invadida por ti.

Eu me completo do teu
tóxico jeito
de amar.
Um curto grau
de devaneio vicioso.

A ponta eu guardo
para posteriores abstinências.


Samantha Abreu

13 comentários:

Maurício Arruda Mendonça disse...

Grande poema, Samantha. Imagens e sensações certeiras. Valeu!

Pedro Du Bois disse...

As abstinências, Samantha. As abstinências. Não há nada pior. Gostei muito do texto. Abraços, Pedro.

walter ney disse...

Samantha, gosto dos teus poemas e das fotos que vc nos revela.
Bjs

Marcos Satoru Kawanami disse...

se parassem de taxar tanto o tabaco, talvez diminuisse o consumo de drogas.

José Calvino disse...

Querida Samantha,

Gosto sempre de te ler, poetamiga!
Me lembrei dos "goyas" de antigamente...rs Espero que abstém-se (leitores, idem)posteriormente.
Beijos do,

Calvino

Leandro Jardim disse...

Gostei =] trago e fumaça são sempre figuras muito poéticas!

Lembrou-me Bandeira:
CHAMA E FUMO
Amor - chama, e, depois, fumaça...
Medita no que vais fazer:
O fumo vem, a chama passa...

(...)

beiJardins

Pedro disse...

Amar é mesmo vício.

célia musilli disse...

Desejo mais devaneios e menos abstinências. Um beijo, saudades...

Lucky A. disse...

Sinestesia...

Polly disse...

Samantha, querida! Quanto tempo.
Cremdeuspai está de volta em novo endereço e formato. Transcrevi para o blogspot, estou de novo na ativa após 1 ano...ufa!

Já estava com saudades.
Apareça por lá.

May (Mayara Oliveira) disse...

MA-RA-VI-LHO-SO
seu blog!

Karen Debértolis disse...

Samantha,
adoro vir aqui neste seu lugar!!
beijos

S. disse...

Vem que vem...rasgando sempre !