domingo, 7 de março de 2010

Calidoscópio

foto de alina lebedeva
.

Sinto por perto uma ameaça invisível.
Eu pareço estar correndo através de um tempo infinito, sem que ela deixe de estar a minha volta. A respiração próxima, o arrepio.
We are fucking lovers, ele me diz. E isso me ecoa: lovers, loversss, lovvv...
Atravessei a tênue linha que separa a paixão da loucura. Esse outro lado me assusta, embora a insanidade seja uma cortina que me afasta da luz desmedida que ele carrega na altura do peito. Não quero mais voltar.
Nossa matéria se tornou única nesse espaço, ele provoca.
Penso em arquitetar um plano infalível para afastá-lo e fazer com que ele volte àquele tempo quando ainda não éramos nós.
Meu querido calidoscópio, como se assola uma ameaça que não se pode ver a olhos nus?


Samantha Abreu

8 comentários:

celia musilli disse...

Samantha querida, me identifiquei com seu texto..tb sinto por perto uma ameaça invisível...nunca sei se intuição ou cisma! Um beijo!!!

Bruna Maria disse...

Tornar-se "nós" é sempre um risco, é sempre o início de uma ameaça invisível. Mas nela nos lançamos - ou somos enredados; talvez por desejo próprio ou, até mesmo, por loucura.

Um abraço!

Anônimo disse...

Oi Samantha...mês passado eu estava navegando e encontrei seu blog... terminei deler tudo desde o inicio, e venho parabeniza-la por seus incriveis textos e poesias...Adorei mesmo... Ahh, peguei emprestado algumas frases suas, mas não se preocupe que eu não assinei como sendo minhas ...

Continue sempre assim !!

Grande beijo !!!

aliciamentos e alucinações disse...

gostei daqui!
quando puder apareça lá em casa, o endereço é:
www.aliciamentosealucinacoes.blogspot.com

beijo.

(sheyladecastilhoº

Pedro disse...

E a gente vai desfazendo aquilo que se construiu sem saber por que razão...

Fabrício Santiago disse...

Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Fabrício e cheguei até vc através do blog Fabrício Carpinejar. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir meu blog Narroterapia. Eu sei que é um abuso da minha parte te mandar essa propagando control c control v, mas sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas no blog do meu xará, inclusive é seguidor do meu blog, claro que ela faz isso mais por gentileza do que pela qualidade do meu texto, mas estou me aprimorando, e com os comentários sinceros posso me nortear melhor. Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs



Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.


Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.


Abraços

http://narroterapia.blogspot.com/

Paula Bastos disse...

Oi, Samantha!
Depois de taaanto tempo, resolvi retomar a escrita.
É tão gostoso ler seus textos porque em poucas palavras você fala tantas coisas...
Às vezes não conseguimos afastar certas coisas de nossas vidas porque são fortes demais; às vezes o melhor é render-se, mas antes de tomar qualquer decisão, analise bem o que é que te faz melhor porque às vezes nos sabotamos pelo simples medo de experimentarmos a felicidade com receio de depois nos frustrarmos.
Um beijo!

Tinha. disse...

"Penso em arquitetar um plano infalível para afastá-lo e fazer com que ele volte àquele tempo quando ainda não éramos nós."

Seria tão bom se fosse possível! =(

=*



www.cafecomdiazepam.blogspot.com