domingo, 11 de julho de 2010

Homem do Sinal

susan burnstine

Tem um homem abandonado na esquina,
roto e com rosto de muitas insônias.
É um homem que fugiu para tentar
o custoso equilíbrio
entre vida e algum tipo de morte.
Aquele homem na esquina
me molesta, me invade os vãos
como se me arrancasse do sonho.

Anda sujo
através dos dias de todas as cores,
estendendo a mão para janelas,
para a minha.
Não tem deveres ou valimento, aquele homem,
mas com algum tipo de cartão me corta um filete de gengiva
e me arrepia a espinha com um tremor obsceno.

Meu medo vem do assombro
pela renúncia das ilusões que o acompanhavam.
Aquele homem se transforma em mim
enquanto passo apressada pelo sinal,
quando me esqueço do sorriso diário,
ou do simulado bom dia.
Sou eu entre vitrines,
entre tilintar de copos nos bares,
ou meu fácil e desprezado acesso à Rimbaud.

Aquele homem é meu rosto do lado de dentro da janela.

O que vejo lá fora
não é mundo,
é reflexo.


Samantha Abreu

6 comentários:

Pedro Du Bois disse...

Samantha: excelente. adulto. presente. Pode não ser reflexo, mas reflete. Abraços, Pedro.

Lunna Guedes disse...

Carissima, muito bom tê-la de volta, muito bom encontrar suas palavras uma vez mais... Seja bem vinda e seu projeto de páginas caminhou??? Encontrou uma sombra de árvore? E será que irá encontrar nosso olhar em breve? No aguardo. Bacio

Samantha Abreu disse...

Queridos, Obrigada!
Lunna, meu projeto de páginas tá estourando aí. Espero que ele te encontre logo logo.
Um beijO

L. Rafael Nolli disse...

Samantha, que poema! Me identifiquei muito! Gostei demais!

Cássio Amaral disse...

Muito bom poema, somos o reflexo de nossos pensamentos e de nós mesmos.
Abraço.

Marcos Satoru Kawanami disse...

tu tá parecendo homem? evoluiu... ordem e progresso. a inveja do falo freudiana. os neurônios a mais do macho. enfim, a supremacia. rsrs

no miss bicho da Escola de Minas, me fantasiaram de mulher, mas o desastre foi tentarem convencer minha porção mulher a deixar de ser sapatão.

TUDO QUE EU DISSE FOI BRINCADEIRA, TENHO DE EXPLICAR?