domingo, 5 de setembro de 2010

Suspensos Atalhos

foto de Julia Iwo

Todos os meus sonhos
nascem
de onde me desconheço.

Por uma linha infinita
de perda
dos meus próprios caminhos,
rasgo os olhos
à procura de indícios.

Nesse atalho
que recorta
meus habituais papéis,
invento ser outras
ser bela, ser ela, ser nua,
Invento ser sua.

Nas vias de todos os devaneios,
encontro suspensos espelhos
que escancaram
meus efêmeros
reflexos.


Samantha Abreu

5 comentários:

romerioromulo disse...

samantha:
estive aqui. volto.
romério

Assis de Mello disse...

Belo poema, Samantha. Essa é a procura de todos nós. ;-)

Edson Bueno de Camargo disse...

A vida nos dá um montão de espelhos, que quando quebram se tornam um montão es espelhos.

Marcos Satoru Kawanami disse...

ué, teu blog ficou dautônico, ou sou eu que tô dando defeito?


=D
Marcos

Marcos Satoru Kawanami disse...

cara, meu com puta dor é de 2003, e meu monitor é de raios catódicos, comprei-o em 1998.

obrigado por contribuir com o Criança Esperança, e me ajudar a ter um futuro feliz.