segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Do Não Arraigar-se


Todas as meninas se estendem
sob a noite
e se trançam pelas camadas
em busca da plena sensação
de arraigamento.

Eu, quando deito,
não enraízo.
Sinto meus cabelos atravessarem
desimpedidos
todas as peles e camadas e o núcleo e camadas e peles.
Só dói quando do outro lado do mundo
alguém os puxa.

Para a terra, esse
atravessamento livre dos meus fios
deve arder
como paixões que me escancaram o peito
em busca
de um desejo qualquer
de permanecer.



Samantha Abreu

5 comentários:

Cecilia Gonçalves disse...

Desejo de permanecer, paixões intensas. Livre de si mesma.
Parabéns, adorei seu espaço.
Abraços de sucesso.
CG.

Edson Bueno de Camargo disse...

Se criar raiz, não voa.

Pedro Du Bois disse...

Talvez as raízes voem além do arraigar-se-mento. Abraços, Pedro.

Rolando disse...

oi moça. tudo blz? estive por aqui. muito legal. gostei. apareça por lá. bjus e abraços.

Sunflower disse...

Mandei plantar
Folhas de sonho no jardim do solar
As folhas sabem procurar pelo sol
E as raízes, procurar, procurar...

Lembrei dessa música.

beijas