sábado, 27 de novembro de 2010

Rutilantes Vitrais

foto de curlytops

Sem saber a cor que continha no próprio rosto, saiu pela claridade do dia em busca do incontestável reflexo.
Não existe perfeição no espelhamento. As distorções se formam por raios de um espectro descontrolado. Irritante a todos os olhos nus anti poéticos.

Mas foi no rebate da desmedida luz que ela se iluminou de prisma, ressurgindo, alva, vestida de vitrais. Vestido que não cabe na festa dos hábitos é feito luva de quem busca a refração dos próprios elos.



Samantha Abreu

5 comentários:

Bianca Feijó disse...

Tô assim, em busca de incontestáveis reflexos com vestidos que não cabem na festa dos hábitos...

Felipe Pauluk disse...

Muito lindo o texto..
Reflexivo e libertador...
Parabéns

Celia disse...

Lindos reflexos Samantha..e eu tava mesmo com saudades dos seus vitrais. Um beijo!!!

Geraldo de Barros disse...

muito bom, Samantha, gostei muito!

beijo
G

Pedro Rabello disse...

E não seríamos uma sucessão de reflexos de nós mesmos?