quinta-feira, 2 de junho de 2011

Alice contra o espelho

foto de eugenio recuenco

Falsas verdades não me parecem mentiras.
Eram apenas demasia
de um capricho transbordando
de mim para o outro.
Alice e o gato,
por horas a fio
atraindo-se pelo recôndito.

O que se mostra não me fascina.
Eu cobiço o incompreensível
e o inexplicável
que me resuma.
Procuro a passagem secreta no tronco da árvore,
e um mundo farto
de dogmas imperfeitos.

Quero apenas um espelho que não me revele.



Samantha Abreu
do livro 'Fantasias para quando vier a chuva'