terça-feira, 8 de novembro de 2011

Gente de dentro

Começo a acreditar, realmente, que a poesia é um gesto - ainda que inicialmente solitário - que explode de experiências multicompartilhadas.

Como isso é possível?

Simples: o lado de dentro é mesmo um lugar infinitamente povoado.

Um comentário:

Adriana Karnal disse...

já dizia Freud: vou para cama todas as noites com meus pais