sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Glossário da Pequena Morte

A voz de dó no baixo
arranhando o grave de todas as trilhas.
Panturrilhas que dançam no vai-vem
dos músculos,
e pedipalpos que enquadram o sorriso raro
na escassez do não: canibalismo.
Cigarro pendendo no triz
entre um lábio e outro desejo:
eu querendo ser o trago.
O in [possível] do out let. Não deixo, mas nego.
Por puro capricho do sempre contar gotas
que não pingam de densas,
doce de colher.

Todo lento e pesado, me toma de pouco.
Mas toma por inteiro de tudo.


Samantha Abreu
foto de Snjezana Josipovic

2 comentários:

celia.musilli disse...

Bonito poema Samantha e..triste.


Um bj!

Pedro Du Bois disse...

Excelente sua construção, Samantha. Abraços, Pedro.